Neurocientistas examinaram os cérebros de 23 campeões mundiais de memória na tentativa de descobrir o segredo por trás de suas incríveis proezas de memória. Usando estes resultados, eles conseguiram melhorar o computador gooey (ou seja, o cérebro).

Você pode até experimentar as técnicas utilizadas no estudo para si mesmo online. O estudo foi publicado na revista científica Neuron .

Pesquisadores da Universidade Radboud, nos Países Baixos, começaram olhando os cérebros de pessoas com memória excepcional usando exames de ressonância magnética estrutural. Para sua surpresa, os exames mostraram que a estrutura física do cérebro não era mais robusta. Em vez disso, eles notaram grandes diferenças nos padrões de conectividade do cérebro. Em particular, havia um subconjunto de 25 conexões que pareciam ser fortemente diferenciadas nesses campeões de memória.

Os atletas de memória disseram que têm estratégias de treinamento mnemônico para aguçar suas habilidades de memória. Isso fez com que os pesquisadores pensassem: poderia qualquer mente através do treinamento ter esses padrões de conectividade extra-acentuados e, portanto, obter habilidades de memória “sobre-humana”?

Eles reuniram 51 indivíduos com habilidades típicas de memória e os dirigiram através de um programa de “treinamento de loci”, que foi apresentado pela primeira vez pelos gregos e romanos antigos, com loci latino para “lugares”. A premissa básica é visualizar um espaço físico, talvez uma rua ou um parque, e lembrar o lugar de certas palavras, itens ou conceitos.

Você pode experimentar o método de treinamento loci usado no estudo para si mesmo em MemoCamp.com .

A formação exigia 30 minutos por dia durante 40 dias. Antes do treinamento, os indivíduos podiam recordar uma média de 26 a 30 palavras. Depois, eles lembraram uma média de 65 palavras.

Em seguida, eles fizeram um exame de ressonância magnética para verificar se essas 25 conexões haviam mudado de alguma forma. E o resultado foi um grande aumento na conectividade entre duas regiões cerebrais: o córtex pré-frontal mediano e o córtex pré-frontal dorsolateral direito. Essas regiões estão associadas a relacionar novos conhecimentos com conhecimento pré-existente e aprendizagem estratégica, respectivamente.

“Faz sentido que essas conexões sejam afetadas”, disse Martin Dresler, professor assistente de neurociência cognitiva, em um comunicado . “Estas são exatamente as coisas que pedimos que os sujeitos façam ao usar o método de loci para memorização”.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.