O Japão vai lançar o Cray XC50 um supercomputador que vai ser utilizado em investigação avançada de fusão nuclear. Entrará em produção ainda este ano.

Se tudo correr como planeado, será o computador mais potente na investigação da área.

O “National Institutues for Quantum and Radiological Science and Technology” escolheu este modelo para a pesquisa, sendo que o mesmo será instalado no “Rokkasho Fusion Institute”. Será também utilizado em suporte ao projeto ITER, um projeto de fusão multinacional encabeçado pela União Europeia. Estas investigações e cálculos para os quais o computador está destinado também incluirão cálculos de física de plasmas.

Energia proveniente de fusão ainda está muito afastada da nossa realidade. O primeiro reator de plasma da ITER está planeado a tornar-se operacional apenas em 2035 e custará muitos bilhões de dólares em investimento. Os defensores desta tecnologia afirmam no entanto que quando ela estiver disponível, será uma alternativa definitiva e mais limpa do que as energias de fósseis ou do que a atual energia nuclear que é radioativa.

Este modelo Cray japonês ainda não tem nome definido. Surge num contexto em que os estados parecem cada vez mais disponíveis para investir neste tipo de tecnologia. Só no ano de 2017, os Estado Unidos investiram $258 milhões de dólares nesta tecnologia através de companhias como a Cray, AMD, Intel e Nvidia.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.