A simulação mais recente da NASA está ajudando os pesquisadores a entender mais sobre como os buracos negros supermassivos funcionam. Esses buracos negros geralmente pesam milhões a bilhões de vezes mais do que o nosso Sol, mas pouco se sabe sobre o que acontece se eles colidirem.

Usando um supercomputador, os pesquisadores do Goddard Space Flight Center finalmente têm uma ideia do que dois buracos negros deste tamanho fariam se interagissem. A equipe usou os efeitos físicos estabelecidos pela teoria geral da relatividade de Albert Einstein. Gás nesses sistemas iria brilhar principalmente raios ultravioleta e luz de raios X, de acordo com a NASA.

“Sabemos que galáxias com buracos negros supermassivos centrais se combinam o tempo todo no universo, mas só vemos uma pequena fração de galáxias com duas delas perto de seus centros”, disse Scott Noble, astrofísico do Goddard Space Flight Center da NASA em Greenbelt. Maryland. “Os pares que vemos não estão emitindo fortes sinais de ondas gravitacionais porque estão muito longe um do outro. Nosso objetivo é identificar – apenas com a luz – pares ainda mais próximos dos quais sinais de ondas gravitacionais podem ser detectados no futuro ”.

A equipe da NASA também nos lembrou dessa informação um pouco inquietante. Quase todas as galáxias do tamanho da Via Láctea ou maiores têm um buraco negro supermassivo no seu coração. Durante décadas, a NASA observou estes

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Para você que está procurando Bolsa de Estudo, temos bolsas de até 75% em mais de 1.200 faculdades de todo o Brasil. Encontre a sua Bolsa de Estudo clicando aqui.