A Ford apresentou um acessório inovador, desenvolvido para ajudar na mobilidade de cadeirantes nas ruas: o Tapete de Acessibilidade. Ainda em fase de protótipo, a novidade faz parte das pesquisas da Ford na área da mobilidade, que vão além do desenvolvimento de veículos para melhorar o transporte e a qualidade de vida das pessoas.

O acessório transforma o tapete do porta-malas do EcoSport em uma ferramenta móvel. Ele pode ser dobrado e encaixado atrás da cadeira de rodas e usado quando necessário para a transposição de guias e desníveis no caminho. Quando aberto, o tapete automaticamente fica rígido, permitindo que a cadeira deslize até o local de acesso. Feito de materiais selecionados, como alumínio aeronáutico e revestimento de EVA, ele é leve e tem capacidade de suportar até 250 kg.

Além do mais, o tapete é equipado com sensores e um microprocessador que envia sinais via Bluetooth para um aplicativo no smartphone do cadeirante toda vez que é usado. Assim, poderá ser usado na criação de um banco de dados, mapeando os pontos da cidade que requerem atenção para o avanço da acessibilidade.

“O Tapete de Acessibilidade é mais um exemplo de inovação da Ford, que mostra a nossa proposta de buscar novas soluções de mobilidade com foco nas pessoas”, diz Joaquim de Arruda Pereira, diretor de Serviço ao Cliente da Ford. “Ele ajuda a dar mais independência aos cadeirantes e amplia a sua mobilidade mesmo fora do carro, para que possam se locomover com mais segurança, confiança e liberdade.” Completa Pereira.

O projeto foi desenvolvido pela Ford em parceria com a agência GTB e o estúdio Code. Ele segue o mesmo conceito do Boné Alerta, protótipo desenvolvido pela Ford junto com a GBT no ano passado que alerta o caminhoneiro quando é hora de fazer uma pausa para não dormir no volante.

“O Brasil possui cerca de 46 milhões de pessoas com alguma deficiência física. Destes, 7% possuem um problema motor e precisam enfrentar a falta de acessibilidade das cidades brasileiras. O Tapete de Acessibilidade une design e tecnologia para dar mais liberdade a essas pessoas”, diz Vico Benevides, diretor de Criação da agência GTB.

O desenvolvimento do acessório teve a participação do designer de produto Rodrigo Lima, além da colaboração de Billy Saga, rapper e presidente da ONG Movimento Superação, que busca levar cidadania às pessoas com deficiência, e de Michele Simões, estilista que trabalha com moda inclusiva, autora do blog Guia do Cadeirante Viajante.

“A gente não está inventando uma peça nova. Na verdade, nós estamos dando mais uma função para uma peça que já existe”, diz Rodrigo Lima. “Geralmente, as coisas que você nunca parou para pensar que poderiam existir é que são os grandes presentes.” Diz Lima.

Ainda de acordo com Lima, o desafio foi criar uma peça resistente para suportar o peso de um cadeirante e ao mesmo tempo leve para ser manuseada e levada a qualquer lugar. Por isso, uma parte importante do projeto foi a pesquisa de materiais empregados.

“Mais do que me ajudar a andar na cidade, acho que a importância do tapete é a mensagem que ele passa de independência e autonomia da pessoa com deficiência”, afirma Billy Saga. “Ele lhe dá liberdade de saber que você pode ir onde quer, lhe permite fazer essa ponte com o mundo”. completa Michele Simões.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.