Podemos começar esta nossa conversa semanal citando uma importante pesquisa que foi publicada, em setembro de 2013, por dois pesquisadores de Oxford, Carl Benedikt Frey e Michael A. Osborne, em artigo denominado ‘The Future of Employment’ (1). Nesta publicação, eles investigaram com profundidade a probabilidade de diferentes profissões serem efetivamente assumidas por sistemas computacionais nos próximos 20 anos. Segundo os autores, a estimativa é de que, no prazo citado, 47% dos empregos nos Estados Unidos vão correr risco de desaparecimento, com a extinção de profissões.

É claro que estas profissões são importantes, mas apresentam características de repetibilidade de funções que facilmente poderão ser assumidas por robôs e sistemas de inteligência artificial. Por exemplo, eles afirmam que, em 2033, há 99% de probabilidade de que operadores de telemarketing e corretores de seguros perderão seus empregos para algoritmos formatados para tal.

È claro que então serão criados novos empregos, dos quais ainda nem podemos prever o perfil necessário. E muitas oportunidades e profissões novas estarão à disposição… Ainda bem…

Podemos, neste ambiente, considerar algumas possibilidades: os empregos repetitivos, rotineiros, serão os que mais poderão ser assimilados facilmente pelos sistemas automatizados, cada vez mais evoluídos: portanto, serão os que correrão mais perigo (ou já correm…). Os novos, seguramente, vão exigir de nós muito mais criatividade e flexibilidade. É aí é que parece estar a “chave” para a evolução neste ambiente…

E muitas coisas então vão ter que mudar, tais como o sistema escolar, os locais de trabalho (em localização física, ambientação, horários, etc.), a atitude das pessoas em relação à este novo modo de atuar produtivamente, e assim  por diante.

Vamos pensar um pouco sobre isto nos próximos “Engenharia em Pauta”? Até lá, então…

Referência:

(1) FREYTAND, Carl Benedict; OSBORNE, Michael A. The future of employment: how susceptible are jobs to computerisation? 2013. University of Oxford, Oxford, United Kingdom.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Compartilhe:
Publicação anteriorWD lança disco rígido com capacidade para 12 TB
Próxima publicaçãoAr condicionado bonito e funcional tem consumo zero de energia

É graduado em Engenharia Elétrica (Instituto Nacional de Telecomunicações – INATEL), e pós-graduado em Docência do Ensino Superior em Educação. Foi professor, desde 1964, em diversos cursos técnicos, de engenharia, e de extensão, em diversas áreas técnicas, bem como em empreendedorismo e inovação. Também criou e coordenou diversas atividades ligadas ao desenvolvimento do empreendedorismo, no Inatel. Atualmente participa de programas de extensão e pesquisa ligados ao empreendedorismo, criatividade e inovação.