Estamos vivendo em uma época na qual o conceito de ”ética” é muito citado, e, infelizmente e com toda a razão, muito questionado no sentido de sua falta na prática no dia a dia. De fato, se “ética” é proceder bem, não prejudicar o próximo, e respeitar os valores estabelecidos na sociedade em que se vive (aí mesclando-se com o conceito de “moral”..), estamos com tal mercadoria em falta…

Daí, eu gostaria de colocar para reflexão o Código de Ética do Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), EUA, que é o principal órgão responsável pela definição de inúmeros padrões na Engenharia Elétrica e Eletrônica utilizados em todo o mundo. Veja abaixo quanto que temos a refletir sobre como estamos utilizando nossos dons e formação de engenheiros:

“Nós, membros do IEEE, em reconhecimento da importância do efeito de nossas tecnologias na qualidade de vida por todo o mundo, e em aceitando uma obrigação pessoal para nossa profissão, seus membros e as comunidades as quais servimos, submetemo-nos à conduta mais ética e profissional e concordamos:

Em aceitar a responsabilidade de fazer as decisões na Engenharia consistentes com a segurança, saúde e bem-estar do público, e rejeitar de imediato e tornar conhecidos fatores que possam colocar o meio-ambiente e o público em risco;

Em evitar conflitos reais ou prováveis de interesse sempre que possível, e fazê-los de conhecimento das partes envolvidas quando existirem;

Em ser honestos e realistas quando relatando pedidos ou estimativas baseadas em dados existentes;

Em rejeitar suborno sob todas as suas formas;

Em promover o entendimento da tecnologia, suas aplicações apropriadas e consequências potenciais;

Em manter e desenvolver nossa competência técnica e assumir tarefas tecnológicas para outros somente se qualificados por treinamento ou experiência, ou após tornar claras as limitações pertinentes;

Em buscar, aceitar e oferecer críticas honestas de trabalhos técnicos, em reconhecer e corrigir erros, e em dar crédito apropriado a colaboradores e outros;

Em tratar com justiça todas as pessoas independente de sua raça, credo, religião, condição física, idade ou nacionalidade;

Em evitar danos a outros, sua propriedade, reputação ou emprego através de ação maliciosa ou falsa;

Em assistir colegas em seu desenvolvimento profissional e suportá-los no cumprimento deste código de ética.

Bem certo e bom de seguir, não?

Referencia:

 https://www.eecis.udel.edu/~portnoi/academic/academic-files/ethicsineng.html, acessado em 23 de julho de 2018.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Compartilhe:
Publicação anteriorConheça o Creator: um robô capaz de fazer hambúrguers tão bem quanto humanos
Próxima publicaçãoO misterioso caso dos navios cargueiros que afundam quando suas cargas se liquefaz
É graduado em Engenharia Elétrica (Instituto Nacional de Telecomunicações – INATEL), e pós-graduado em Docência do Ensino Superior em Educação. Foi professor, desde 1964, em diversos cursos técnicos, de engenharia, e de extensão, em diversas áreas técnicas, bem como em empreendedorismo e inovação. Também criou e coordenou diversas atividades ligadas ao desenvolvimento do empreendedorismo, no Inatel. Atualmente participa de programas de extensão e pesquisa ligados ao empreendedorismo, criatividade e inovação.