Temos conversado muito sobre o futuro, não é? Então eu gostaria de dar um exemplo de algo que já está vindo, e bem próximo… As conclusões sobre o que este cenário impactaria em sua vida e carreira ficam por sua conta, está bem?

Em primeiro lugar, a fonte da informação: o livro de Klaus Schwab, “A Quarta Revolução Industrial”, editado pela Edipro, São Paulo. Este livro basicamente é como se fosse um relatório, preparado para servir de base de discussão para importantes eventos do “World Economic Forum”, como o da reunião em Davos-Klosters em 2016, e outros eventos de mesma importância; em segundo lugar, vamos considerar como “Pontos de Inflexão” os momentos em que as tecnologias chegam à sociedade, com poder para moldá-la às novas realidades.

Escolhi apenas uma das possibilidades, dentre as vinte e uma apontadas na obra citada, sobre a qual recomendo leitura completa e atenta. O critério de escolha foi baseado apenas em algo mais próximo de nós, a nossa residência…

Vamos, segundo o autor, denominá-la a “Casa Conectada”.  Seu “Ponto de Inflexão” está previsto para 2025, apenas sete anos à frente… Isto significa que nesta data mais de 50% do tráfego da internet consumida nas casas não será a utilizada para simples comunicação (e-mails, redes sociais, noticiários, etc.) ou entretenimento (Netflix,etc.), mas sim para a interligação entre dispositivos e aparelhos diversos, dentro e fora do ambiente residencial… Já pensou? É que as casas serão inteligentes – por exemplo, sua geladeira encomendará automaticamente os produtos que nela estarão faltando, baseada em um “set-up” que você nela programar. Sua residência, comunicado-se com seu automóvel, poderá preparar o ambiente da casa para sua chegada após o trabalho ou viagem, com o que você quiser… Que interessante, não? E assim por diante…

Mas, se tudo isto poderá lhe trazer conforto e segurança, também poderão ocorrer problemas. Por exemplo, a residência poderá ser “hackeada”, com os problemas que isto poderá trazer: privacidade, segurança, etc. Mas problemas sempre poderão ser resolvidos, com criatividade e inovações…

Até a próxima…

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Compartilhe:
Publicação anteriorUma bactéria marítima poderia tornar possível os humanos respirarem em marte
Próxima publicaçãoCientistas fazem o primeiro entrelaçamento quântico “sob demanda”
É graduado em Engenharia Elétrica (Instituto Nacional de Telecomunicações – INATEL), e pós-graduado em Docência do Ensino Superior em Educação. Foi professor, desde 1964, em diversos cursos técnicos, de engenharia, e de extensão, em diversas áreas técnicas, bem como em empreendedorismo e inovação. Também criou e coordenou diversas atividades ligadas ao desenvolvimento do empreendedorismo, no Inatel. Atualmente participa de programas de extensão e pesquisa ligados ao empreendedorismo, criatividade e inovação.