Tudo sobre o curso de Engenharia Aeronáutica

A engenharia aeronáutica é a engenharia que se ocupa do projeto e da manutenção de aeronaves e do gerenciamento de atividades aeroespaciais.

O engenheiro aeronáutico pode trabalhar fiscalizando atividades aéreas e certificando aeronaves, orientando o deslocamento de aeronaves, auxiliando assim nas operações de decolagem e pouso nos aeroportos; projetando satélites e foguetes, definindo os dados técnicos necessários a sua construção, a seu lançamento e sua operação; coordenando a realização de reparos, manutenção preventiva e inspeções periódicas das estruturas, dos sistemas e equipamentos de aeronaves; desenhando a estrutura e os componentes de aeronaves, definindo os materiais e os processos empregados na produção e realizando ensaios e testes antes da fabricação em escala industrial e, por fim, projetando, construindo, testando e instalando motores, instrumentos de controle e sensores em aeronaves, definindo as especificações dos mecanismos que controlam o trem de pouso, a alimentação de combustível e a pressurização da cabine.

Graduação:

Nos dois primeiros anos da graduação, onde é feita a formação básica do engenheiro aeronáutico, será estudado cálculo, desenho técnico e, principalmente, física (resistência dos materiais, termodinâmica e aerodinâmica).

A partir do terceiro ano, começam as matérias específicas da aeronáutica, tais como tecnologia aérea, eletrônica, mecânica de voo e dinâmica estrutural para aeronaves.

Possíveis especializações:

O engenheiro aeronáutico pode ter sua especialização voltada à coordenação de trafego aéreo, aos projetos de engenharia espacial, manutenção de aeronaves, entre outras deste mesmo segmento.

Mercado de trabalho:

Este profissional encontra hoje um momento favorável no mercado, que está em franca recuperação desde a crise de 2008. Os bacharéis são contratados para trabalhar na indústria aeronáutica, com sistemas aeronáuticos (equipamentos e dispositivos para aeronaves), no projeto e na manutenção de aeronaves e em logística em companhias aéreas, na certificação e fiscalização de aeronaves e nos órgãos de controle de tráfego aéreo.

Escritórios de consultoria também demandam esse profissional, assim como a Agência Espacial Brasileira (AEB), a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e o Ministério da Aeronáutica. Nesse último caso, porém, os cargos são restritos aos militares. Além de boa graduação, o mercado exige profissionais que dominem, no mínimo, o inglês e valoriza uma pós-graduação.

Fonte da imagem shutterstock