Tudo sobre o curso de Engenharia Florestal

É o ramo da Engenharia que visa a preservação, o manejo e a exploração racional de áreas florestais. Os Engenheiros Florestais qualificados e ambientados, tem como  compromissos reverter o processo de degradação do solo, da água e dos recursos genéticos (fauna e flora) e permitir o desenvolvimento e a utilização de técnicas adequadas à exploração de recursos florestais nos diversos Biomas, como implantar e cultivar florestas para a produção de bens diretos, principalmente madeira para os mais diversificados tipos de uso (fonte energética, celulose e papel, placas, compensados e desdobro em serrarias).

Graduação

O curso de Engenharia Florestal no primeiro ano possui disciplinas comuns com as outras Engenharias, como por exemplo, Cálculo 1 e 2, física 1 e 2 somado a outras disciplinas da área de biológicas, como Ecologia Geral, Morfologia e Anatomia vegetal, Bioquímica e metabolismo celular.

O curso possui muito similaridade com o curso de Agronomia e muitas disciplinas são mescladas entre si, como Administração rural e fertilidade do solo e Nutrição de Plantas.

As disciplinas específicas do curso são ministradas a partir do 2° ano de curso, com disciplinas focadas muito nas áreas de estatística, economia e manejo em geral que são de estrema importância para os delineamentos florestais. Como exemplo de disciplinas especifica podemos citar: Dendrometria, Dendrologia, Sivicultura e Melhoramento Florestal.

Possíveis especializações:

O engenheiro Florestal pode se especializar em áreas como, por exemplo, da tecnologia da madeira, dos recursos renováveis, sistemas agroflorestais, mecanização e hidrologia etc.

Mercado de Trabalho

As polêmicas giradas em torno do novo Código Florestal, como por exemplo, sobre as atividades agropecuárias manejadas em áreas de preservação permanente acaba levantando dúvidas e questões que são debatidas por diferentes especialistas. Diante disso, cresce a importância de novas discussões em relação à preservação e ao manejo florestal. E promete aumentar as oportunidades de trabalho para esse engenheiro, principalmente na assistência e no desenvolvimento de projetos para adaptar as propriedades rurais à nova legislação.

Frequentemente órgãos públicos como o Ministério do Meio Ambiente, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Instituto Estadual de Florestas (IEF) de Minas Gerais realizam frequentemente concursos para a contratação do profissional.

Nas empresas privadas em geral, seja nas de base florestal como nas que prestam serviços para o governo ofertam vagas para especialistas na área florestal.

O mercado é crescente e novo no Brasil e vem crescendo nas diversas regiões do Brasil, em especial para o Norte, Nordeste e Centro-Oeste devido principalmente aos novos polos de indústrias de papel e celulose.

Colaborador: Diego Almeida Coelho

Fonte da imagem shutterstock.