Imagem: divulgação
Marcas automotivas internacionais se juntaram ao projeto dinamarquês Parker para traçar o caminho da próxima geração de veículos elétricos. Aplicando o conhecimento dinamarquês, um time formado por especialistas em redes integradas, como Enel, Nuvve e Insero, junto com os fabricantes Nissan, Mitsubishi e PSA Group, pretende desenvolver uma definição universal para a rede integrada, permitindo que os veículos elétricos em todo o mundo colaborem para um futuro sistema energético baseado em energias renováveis.

O projeto Parker pretende demonstrar como o veículo elétrico poderá desempenhar um papel chave para superar os desafios de uma matriz elétrica formada por energias renováveis. Com duração de 23 meses (ago/16 a jul/18), o projeto conta com o orçamento de 14,7 milhões de Coroas Dinamarquesas, financiado pela ForskEl.

Os fabricantes de automóveis Nissan, Mitsubishi e PSA Group já implementaram a tecnologia conhecida como vehicle-to-grid (V2G – veículo-para-rede) em vários modelos de automóveis. O V2G é parte da tecnologia que torna possível que um veículo elétrico se torne uma rede integrada, além de fornecer e receber eletricidade da rede. Por meio da tecnologia V2G, os veículos podem servir como recursos de energia e, assim, apoiar ativamente a rede elétrica.

“A Enel está dando passos importantes no desenvolvimento de redes inteligentes com o objetivo de integrar efetivamente as energias renováveis nas redes de distribuição, bem como criar um papel ativo para o cliente no mercado de energia. O V2G é uma das tecnologias mais promissoras por meio da qual estes desafios podem ser enfrentados e, por isso, além de participar do projeto Parker, desenvolvemos também o Frederiksberg Pilot na Dinamarca, que é o primeiro hub V2G comercial na Europa”, diz Livio Gallo, responsável global de Infraestrutura e Redes do Grupo Enel.

No entanto, uma implantação global de veículos de rede integrada exige um terreno comum – uma definição universal -, para que milhares de veículos elétricos de todas as marcas e independentemente de suas localizações sejam capazes de fornecer eletricidade para a rede de energia de acordo com as necessidades da rede local.

“É importante ter uma definição comum do que é o veículo de rede integrada, pois garante que os carros, através de marcas contemporâneas de veículos produzidos em série, tenham as capacidades técnicas necessárias para apoiar de forma otimizada a rede”, explica Peter Bach Andersen, pesquisador do Center for Electric Power and Energy, DTU Electrical Engineering, e Gerente de projeto do Parker.

Para alcançar esta definição comum, o projeto dinamarquês demonstrará e definirá as capacidades técnicas que os futuros veículos elétricos devem suportar para lançar o V2G em todo o mundo. Além disso, o projeto dará os primeiros passos para o desenvolvimento de um certificado de Grid Integrated Vehicle (GIV – Veículo de Rede Integrada), o qual os fabricantes de automóveis podem solicitar para registrar a capacidade dos veículos de suportar a rede. Consequentemente, o projeto reforça a posição da Dinamarca enquanto pioneira global quando se trata de veículos de rede integrada.

Viabilidade Comercial – Além de desempenhar um papel fundamental em desafios globais, como a poluição do ar, mudanças climáticas e balanceamento da rede elétrica, as capacidades do V2G tornarão os futuros veículos elétricos mais atraentes para os consumidores, que, entre outras coisas, poderão vender serviços à rede. Os principais fabricantes de automóveis como Nissan, Mitsubishi e PSA Group reconhecem as oportunidades comerciais de rede integrada e veem o projeto Parker como o próximo passo para uma comercialização global de veículos de rede integrada.

“A Nissan é conhecida pela inovação e qualidade, particularmente nos veículos elétricos, e pretende ser líder no desenvolvimento de veículos-para-rede”, diz Nicolas Joubaud, gerente de Seção de V2G e Armazenamento Estacionário na Nissan, que continua: “Nós estamos orgulhosos de participar do projeto Parker, o que nos dará uma compreensão ainda maior de como integrar veículos elétricos na rede em uma escala maior. A Nissan acredita que a integração da rede vai revolucionar o mercado de energia por meio da transformação de um veículo elétrico em um ativo de energia ativa”.

No projeto, os parceiros irão explorar as oportunidades comerciais mais viáveis, testando e demonstrando sistematicamente os serviços V2G em todas as marcas de automóveis. Aqui, serão identificadas barreiras econômicas e regulatórias, bem como os impactos econômicos e técnicos das aplicações no sistema energético e nos mercados.