A resposta para essa pergunta é simples: as duas são consideradas cidades inteligentes ou smart cities, mas vamos conhecer melhor porque são cidades são inovadores e chamam atenção. A cidade coreana é desenvolvida para gerir sensores de tráfego, reprogramar semáforos e acompanhar o sistema pneumático de gestão de resíduos. Já a europeia é capaz de oferecer as condições necessárias para que metade de sua população use bicicletas para ir ao trabalho, contribuindo para uma redução de 2 milhões de toneladas de CO2 ao ano.

Essa é justamente a proposta das cidades inteligentes: unir infraestrutura e tecnologias adequadas para sustentar e auxiliar a operação, acessar e compartilhar, em tempo real, informações, além de planejar e executar atividades de forma eficiente. Por isso, as cidades inteligentes não se resumem apenas ao uso tecnologias. É preciso buscar o sistema mais adequado para gerar uma gestão integrada.

Quando falamos em smart cities, a abordagem deve ser horizontal para que todas as disciplinas funcionem de forma eficiente e integrada. Com essa nova forma de gerir e planejar as cidades, o portal “Smart City é” surge com o propósito de disseminar o conceito de cidades inteligentes, abordando temas que cercam os avanços das grandes cidades como sustentabilidade, tecnologia, arquitetura e mobilidade.

Conheça a Smart City Laguna, a 1ª Cidade Inteligente SOCIAL do Mundo: www.smartcitylaguna.com.br

Facebook da Smart City Laguna: fb.com/PlanetSmartCity/

Facebook do Grupo PLANET: fb.com/PlanetSmartCityBR

Instagram: @planetsmartcitybr

Youtube: Planet Smart City BR

Acompanhe a próxima matéria para saber mais sobre uma Cidade Inteligente que está sendo construída aqui no Brasil!

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Para você que está procurando Bolsa de Estudo, temos bolsas de até 75% em mais de 1.200 faculdades de todo o Brasil. Encontre a sua Bolsa de Estudo clicando aqui.