Conheça Mary Temple Grandin, uma professora autista que revolucionou a indústria pecuária

Mary Temple Grandin é uma lenda. Ela é autista, inventora, designer e professor de ciência animal na Colorado State University. Além disso, ela é consultora em grandes empresas como McDonald’s, Swift, Burger King e muitos outros. Ela revolucionou a indústria pecuária no comportamento animal. E também se tornou uma porta-voz mundial que mudou a maneira como o público percebe o autismo.

Alguns de vocês podem se lembrar dela de um filme semi-biográfico chamado Temple Grandin, que conta a sua incrível história. Se você nunca ouviu falar dela, aqui está uma “porta” através de seu incrível mundo, um que você nunca pode esquecer.

Como uma criança autista nascida em 1947, ela e sua família enfrentaram uma dura realidade pois ninguém entendia o autismo. Ela não falou até 3,5 anos de idade, e tinha “extraordinários” comportamentos, que era considerado estranho e bizarro por outros. Mas sua mãe nunca desistiu de sua educação. Enviou Mary a grandes escolas e abriu caminho para as ciências.

De acordo com ela, a vida de Grandin mudou quando encontrou William Carlock, seu professor de ciências que tinha trabalhado para a NASA. Ele entendeu o funcionamento de sua mente, e a apoiou pelo resto de sua vida. Ele ajudou a construir o primeiro projeto de Grandin, a Hug Box também conhecida como Squeeze Machine.

Depois que ela se formou no ensino médio, Grandin foi para a Faculdade Franklin Pierce e obteve seu diploma de bacharel em psicologia humana em 1970. Até 1975, ela continuou trabalhando em comportamentos animais e ganhou seu mestrado em ciências animais na Arizona State University. Mas ela não parou. Ela obteve seu doutorado na Universidade de Illinois em Urbana-Champaign em ciência animal em 1989 também.

Durante sua educação, Grandin projetou equipamentos e sistemas de manuseio de animais humanos realmente importantes. Seu “pensamento visual” permitiu-lhe ver detalhes. Ela projetou instalações de manuseio de gado para manter o gado avançando sem medo. Ela desenvolveu câmaras com curvas ao invés de bordas ásperas e banheiras de lados sólidos. Ambas as inovações tornaram-se marcos para a indústria pecuária.

Grandin classifica-se como uma pensadora visual e palavras são sua segunda língua:

Então, o que é pensar em imagens? É literalmente ter filmes em sua cabeça. Minha mente funciona como o Google imagens. Quando eu era criança eu não sabia que meu pensamento era diferente. Pensei que todo mundo pensava em fotos. E então, quando eu fiz o meu livro, “Pensando em fotos”, eu começo a entrevistar as pessoas sobre como eles pensam. E fiquei chocado ao descobrir que meu pensamento era bem diferente. Como se eu dissesse, “Pense em um campanário da igreja” a maioria das pessoas obter este tipo de genéricos generalizada. Agora, talvez isso não seja verdade nesta sala, mas vai ser verdade em muitos lugares diferentes. Só vejo imagens específicas. E no filme, eles têm uma grande cena lá onde a palavra “sapato” é dita, e um monte de sapatos dos anos 50 e 60 aparece na minha imaginação”.

Apesar de um sistema educacional que a isolava, Grandlin perseverou e hoje em dia, ela trabalha como professora de Ciência Animal na Colorado State University. Ela fala continuamente para todo o mundo sobre autismo, manejo de gado e inspiração de pessoas.

Se você gostou de saber mais sobre ela, verifique seus inúmeros prêmios aqui. Você pode assistir Temple Grandin ou ler seus livros também.

Assista abaixo, a palestra dela no TED:

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Para você que está procurando Bolsa de Estudo, temos bolsas de até 75% em mais de 1.200 faculdades de todo o Brasil. Encontre a sua Bolsa de Estudo clicando aqui.