De acordo com a Teoria da Relatividade de Albert Einstein, nada é capaz de superar a velocidade da luz. Mas qual a razão para isso? A velocidade da luz no vácuo é de meros 1,08 bilhão de km/h, velocidade essa alcançada apenas pelos fótons, que são partículas de luz. Todas as outras coisas no Universo não podem alcançar ou superar essa velocidade pois os corpos ficam mais massivos conforme a velocidade vai aumentando.

Exemplificando, se você pesar 80 quilos, e pudesse correr a 1,07 bilhão de km/h, o equivalente a 99,9% da velocidade da luz, seu corpo passaria a ter aproximadamente 2 toneladas. Esse aumento de massa em relação ao aumento da velocidade é válido em quaisquer circunstância, mas só tem efeitos perceptíveis a velocidades muito, mas muito altas. Mesmo nos aviões mais velozes é impossível observar esse efeito porque a velocidade é pequena demais, se comparada a 1,08 bilhão de km/h.

Como sabemos através da famosa equação de Einstein E = MC2, massa e energia são dois lados da mesma moeda. A equação diz que se a energia de algo aumenta, sua massa também aumenta. E quando um corpo aumenta sua velocidade, ele também está aumentando proporcionalmente sua energia.

E, logicamente, quanto mais massivo um corpo, mais difícil é a sua aceleração. Teoricamente, se um objeto fosse capaz de atingir a velocidade da luz, sua massa tenderia ao infinito. Então, seria necessária uma energia igualmente infinita para acelerar o objeto – e nem todo o Universo finito junto possui tal energia.

Mas por que os fótons, as partículas de luz, conseguem atingir tal velocidade? A resposta é simples e objetiva: os fótons não possuem massa – uma das únicas partículas com essa característica.

Então, aquelas especulações malucas sobre o que aconteceria se viajássemos a velocidade da luz ou a ultrapassássemos é pura balela. É fisicamente impossível tal feito.

De acordo com MM. Physics
Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.