A pesquisa de novos materiais que combinam resistência e leveza proporcionou uma “madeira metálica”, com a força do titânio e com a densidade da água.

Frete GRÁTIS ilimitado, Filmes, Séries, Músicas e muito mais com Amazon Prime! Teste GRÁTIS por 30 dias aqui.

Cientistas das universidades da Pensilvânia, Illinois e Cambridge construíram uma placa de níquel com poros em nanoescala que a tornam tão forte quanto o titânio, mas quatro a cinco vezes mais leve.

O espaço vazio dos poros e o processo de automontagem em que são feitos tornam o metal poroso semelhante a um material natural, como a madeira.

E assim como a porosidade dos grãos de madeira cumpre a função biológica de transportar energia, o espaço vazio na “madeira metálica” dos pesquisadores poderia ser infundido com outros materiais. Infundir os andaimes com materiais anódicos e catódicos permitiria que essa madeira metálica realizasse uma tarefa dupla: uma asa plana ou uma perna protética que também é uma bateria.

James Pikul, professor de engenharia mecânica na Universidade de Illinois e seus colegas, deve seu sucesso ao seguir o exemplo do mundo natural. “A razão pela qual a chamamos de madeira metálica não é apenas sua densidade, que tem a ver com a madeira, mas com a natureza celular”, disse Pikul em um comunicado.

Como cerca de 70% do material resultante é um espaço vazio, a densidade dessa madeira de metal à base de níquel é extremamente baixa em relação à sua resistência. Com uma densidade equivalente à da água, um tijolo desse material flutuaria.

Replicar esse processo de produção em tamanhos comercialmente relevantes é o próximo desafio da equipe. Ao contrário do titânio, nenhum dos materiais envolvidos é particularmente raro ou caro por conta própria, mas a infraestrutura necessária para trabalhar com eles em nanoescala é atualmente limitada. Uma vez que a infraestrutura é desenvolvida, produzir a “madeira metálica” vai ser mais rápido e menos caro.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here