A fluoretação da água pode não ser tão boa para você quanto você pensava anteriormente. Adicionado ao abastecimento público de água, o flúor na água ajuda a reduzir a cárie dentária.

Agora, um novo estudo publicado no JAMA Pediatrics descobriu que ter flúor na água pode estar ligado a crianças com níveis mais baixos de QI, se as mães bebem uma certa quantidade durante a gravidez.

As descobertas não são necessariamente inovadoras, já que o elo da fluoretação da água para reduzir o QI foi feito antes. O que é interessante aqui é que o Serviço de Saúde Pública dos EUA alegou que 0,7 miligramas de flúor na água potável pública é uma quantia segura.

O estudo examinou 601 mulheres e observou a ingestão de flúor de 512. A equipe examinou as amostras de urina das mulheres grávidas.

Todas as crianças nascidas das mulheres no estudo tiveram seu QI testado quando tinham três e quatro anos de idade.

O que os pesquisadores descobriram foi que, para cada 1 miligrama adicional por litro na concentração de flúor encontrada na urina das mulheres, seus meninos – e não as meninas, até agora – tinham um QI mais baixo em 4,5 pontos.

As meninas não mudaram seu QI, mas a pesquisa não se concentrou no motivo pelo qual os meninos foram afetados e não as meninas. Algo que a equipe vai pesquisar em seguida.

Pode não parecer um grande número, mas somado em conjunto: “Em um nível populacional, é uma grande mudança. Isso se traduz em milhões de níveis de QI perdidos”, disse Christine Till, a autora do estudo, e professora do Departamento de Psicologia na Universidade de York em Toronto.

Os pesquisadores também controlaram a renda e a educação dos participantes dos estudos, bem como outras exposições a elementos como chumbo e mercúrio.

A equipe especificou que mais pesquisas precisam ser realizadas, especialmente sobre por que os meninos são afetados e não as meninas, mas isso pode mudar a forma como percebemos a segurança da fluoretação na água.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentário.