Cada partícula do vírus SARS-CoV-2 – vírion – é uma esfera de proteína com espinhos que envolve o material genético, com cerca de 50-200 nanômetros de largura. De alguma forma, mesmo uma micrografia de cores falsas brilhante infectando células pulmonares humanas pode torná-las quase… ornamentais.

Novas imagens impressionantes do vírus SARS-CoV-2 da bioquímica Camille Ehre da Escola de Medicina da Universidade da Carolina do Norte (UNC) foram publicadas no New England Journal of Medicine; eles revelam o quão bem esses vírions microscópicos podem infectar nossas vias aéreas.

A equipe introduziu o SARS-CoV-2 em uma cultura de laboratório de células epiteliais brônquicas humanas – as células que fornecem uma barreira entre o ar nos pulmões e nossa corrente sanguínea. Eles deixaram os dois se misturando por 96 horas e então usaram um microscópio eletrônico de varredura para registrar os resultados.

“A produção de vírus foi de aproximadamente 3×106 unidades formadoras de placa por cultura, uma descoberta que é consistente com um alto número de vírions produzidos e liberados por célula”, escreve a equipe.

As imagens acima e abaixo foram falsamente coloridas por Cameron Morrison, um estudante de medicina da UNC, e mostram estruturas semelhantes a cabelos chamados cílios em azul, fios de muco em verde amarelado e SARS-CoV-2 em vermelho.

A imagem no início deste artigo mostra as estruturas em um contexto mais amplo, com pequenas partículas de vírus vermelhos, enquanto a imagem abaixo amplia ainda mais, revelando claramente a estrutura das minúsculas partículas e a densidade do vírus.

(Ehre Lab / UNC School of Medicine)

Você deve conhecer os cílios que residem em seu intestino, mas eles também existem dentro dos pulmões, ajudando a proteger nossos órgãos respiratórios de patógenos, mantendo os pulmões úmidos e autolimpantes.

Você pode ver um exemplo de onde eles são encontrados na imagem abaixo:

Embora as novas micrografias realmente pareçam impressionantes, elas são mais do que apenas uma novidade.

As imagens mostram o grande número de vírions produzidos quando o vírus sequestra nossas células. Em humanos, os virons resultantes são provavelmente tossidos, falados ou mesmo expirados no ar em gotas, nos dando um grande lembrete para as pessoas usarem máscaras e manterem distância dos outros para limitar a propagação.

E talvez, olhando para essas minúsculas partículas de vírus, possamos ver melhor o quadro geral.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 🙂

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentário.