Mais de dez milhões de casos confirmados de Covid-19, e mais de meio milhão de mortos pelo mundo. Em um cenário de pandemia, o que o mundo menos quer é outra pandemia.

Um estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences, pesquisadores afirmam que identificam um novo vírus da gripe suína que vem se espalhando pela China – país que por sua vez conta com a maior população suína do mundo, cerca de 500 milhões de cabeças – com potencial para se espalhar sem controle. A descoberta, de acordo com os cientistas, exige precauções imediatas de saúde animal e pública e medidas de controle para evitar surtos de doenças em seres humanos.

Por agora, o vírus G4 EA H1N1 não se espalhou entre pessoas. Ele possui uma mistura de três linhagens: uma semelhante às cepas encontradas em aves europeias e asiáticas, a cepa do H1N1 que causou a pandemia de 2009 e uma versão norte-americana do H1N1 que possui genes de vírus influenza aviário, humano e suíno.

O que preocupa no entanto os pesquisadores é o fato de que o núcleo vem do vírus da gripe aviária – ao qual os humanos não têm imunidade – misturado com pedaços de cepas dos mamíferos.

“Os porcos são hospedeiros intermediários para a geração do vírus da gripe pandêmica. Assim, a vigilância sistemática dos vírus influenza em suínos é uma medida fundamental para avisar do surgimento da próxima gripe pandêmica”, dizem os cientistas na publicação.

A equipe da Universidade Agrícola da China analisou cerca de 30 mil amostras nasais retiradas de porcos em matadouros de dez províncias e outras mil no hospital veterinário da instituição entre 2011 e 2018. “O vírus G4 mostrou um aumento acentuado desde 2016 e é o genótipo predominante na circulação em porcos”.

Dois casos de infecções G4 em humanos foram documentados, mas entretanto não foi identificada qualquer transmissão entre humanos. “A probabilidade de que essa variante em particular cause uma pandemia é baixa”, avalia a bióloga evolucionária Martha Nelson, do Instituto Nacional de Saúde dos EUA, que estuda os vírus da gripe suína nos Estados Unidos e sua disseminação para humanos.

Logo, a cientista lembra que ninguém podia prever a pandemia de H1N1 até que o vírus saltou de porcos para pessoas, isso em 2009. “A gripe pode nos surpreender”, diz Martha. “E existe o risco de negligenciarmos a gripe e outras ameaças no momento” do novo coronavirus. Se um porco é infectado com dois ou mais tipos de vírus ao mesmo tempo, como a gripe humana e a gripe suína, os vírus podem trocar genes em um processo chamado “rearranjo”, levando a uma nova cepa que pode infectar pessoas.

De acordo com Olhar Digital.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.