As mortes por câncer nos EUA caíram 29% ao longo de 26 anos, com uma redução nas mortes por câncer de pulmão levando ao declínio.

Segundo dados divulgados pela Sociedade Americana do Câncer que rastrearam o número de mortes por câncer de 1991 a 2017, o número de mortes caiu 2,2% de 2016 a 2017. Foi o maior declínio em um único ano já registrado, disse a organização sem fins lucrativos.

Os dados foram publicados na revista CA: A Cancer Journal for Clinicians.

A American Cancer Society atribuiu o declínio nas mortes por câncer a quedas nas taxas de mortalidade dos principais tipos de câncer: pulmão, colorretal, mama e próstata.

As reduções de mortes por câncer de pulmão que impulsionaram os declínios foram resultado de menos pessoas fumando, detecção e tratamento precoces. Melhorias na redução do número de mortes por câncer colorretal, mama e próstata durante os 26 anos abrandaram a American Cancer Society.

De 1990 a 2017, as taxas de câncer de pulmão caíram 51% entre os homens e 26% entre 2002 e 2017 para as mulheres.

As taxas de mortalidade por câncer de mama caíram 40% de 1989 a 2017 para as mulheres, enquanto as taxas de mortalidade por câncer de próstata caíram 52% de 1993 a 2017 para os homens. As mulheres tiveram 57% menos mortes por câncer colorretal de 1969 a 2017, enquanto os homens tiveram um declínio de 53% de 1980 a 2017.

A morte por câncer de pele diminui devido em parte a novos medicamentos

De todos os cânceres, a American Cancer Society encontrou o maior declínio nas mortes de pessoas com câncer de pele com melanoma. A organização sem fins lucrativos atribuiu isso em parte aos medicamentos de imunoterapia Yervoy (ipilimumab) e Zelboraf (vemurafenib), que o FDA aprovou em 2011.

A taxa de mortalidade por câncer de pele caiu 7% anualmente de 2013 a 2017 em pessoas com idades entre 20 e 64 anos.

“As quedas aceleradas na mortalidade por câncer de pulmão e no melanoma que estamos vendo provavelmente são devidas, pelo menos em parte, aos avanços no tratamento do câncer na última década, como a imunoterapia”, disse William G. Cance, MD, médico chefe e oficial científico da American Cancer Society, em um comunicado de imprensa. “Eles são um lembrete profundo da rapidez com que essa área de pesquisa está se expandindo e agora leva a uma verdadeira esperança para os pacientes com câncer”.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.