Uma nova teoria diz que não há gravidade, nenhuma matéria escura, e que Einstein estava errado

Erik Verlinde, especialista em teoria de cordas da Universidade de Amsterdã e do Instituto Delta de Física Teórica

Gravidade é algo que todos nós estamos familiarizados desde nossas primeiras experiências de infância. Você solta algo – ele cai. E a forma como os físicos descreveram a gravidade também foi bastante consistente – é considerada uma das quatro principais forças ou “interações” da natureza e como ela funciona foi descrita pela teoria geral da relatividade de Albert Einstein.

Mas o professor Erik Verlinde, especialista em teoria de cordas da Universidade de Amsterdã e do Instituto Delta de Física Teórica, acha que a gravidade não é uma força fundamental da natureza porque nem sempre está lá. Em vez disso, é “emergente” – vindo à existência a partir de mudanças nos bits microscópicos de informação na estrutura do espaço-tempo.

Verlinde articulou primeiramente esta inovadora teoria em 2010, examinou nas leis de Newton e argumentou que a gravidade é “uma força entrópica causada por mudanças na informação associada com as posições dos corpos materiais”. Ele declarou então que “a gravidade é uma ilusão”, explicando ainda mais:

“Bem, é claro que a gravidade não é uma ilusão no sentido de que sabemos que as coisas caem. Muitas pessoas, certamente na física, pensam que podemos descrever a gravidade perfeitamente adequadamente usando a Relatividade Geral de Einstein. Mas agora parece que também podemos começar a partir de um Formulação microscópica onde não há gravidade para começar, mas você pode derivar isso.

Além disso, o professor holandês publicou agora uma elaboração de seu trabalho anterior em “Gravidade Emergente e Universo Negro”, que argumenta que não há “matéria escura” – um misterioso tipo de matéria que teoricamente compõe mais de 85% a 95% do universo mas que ainda não foi descoberto.

Sem dúvida, tem havido algo desconcertante cientificamente sobre dar tanta importância a uma força que nunca foi detectada diretamente. Sua existência só foi inferida através de efeitos gravitacionais.

Uma maneira a existência da matéria escura foi usada era explicar porque as estrelas nas regiões exteriores do espaço parecem girar mais rapidamente em torno do centro de sua galáxia do que a teoria sugerida. O que Verlinde propõe é que a gravidade simplesmente funciona de maneira diferente da que nós a entendemos anteriormente, e criar o conceito de matéria escura é irrelevante. Ele é capaz de prever a velocidade das estrelas da borda externa e sua “gravidade excessiva” dentro de sua nova teoria.

“Temos evidências de que esta nova visão da gravidade realmente concorda com as observações”, disse Verlinde. “Em grandes escalas, ao que parece, a gravidade simplesmente não se comporta da maneira que a teoria de Einstein prevê”.

Um grande resultado do trabalho de Verlinde é que ele nos empurra mais para reconciliar a física quântica com a relatividade geral.

“Muitos físicos teóricos como eu estão trabalhando em uma revisão da teoria, e alguns avanços importantes foram feitos. Podemos estar à beira de uma nova revolução científica que vai mudar radicalmente as nossas opiniões sobre a própria natureza do espaço, tempo e Gravidade “, explicou Verlinde.

Veja o que o professor Verlinde falar sobre o que ele pensa da gravidade em sua entrevista no  Big Think.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Quer ficar por dentro do assunto Smart City, o mais falado no Brasil e no mundo? Deixe seu e-mail e receba em primeira mão! clicando aqui.