Guindastes apareceram na Grécia Antiga pela primeira vez há mais de 2.500 anos, mas uma nova pesquisa sugere que uma máquina de elevação primitiva — uma espécie de precursora do guindaste — já era usada por volta de 150 anos antes.

Os gregos antigos são famosos pela sua monumental arquitetura de pedras, que eles conseguiram construir sem a ajuda de equipamentos sofisticados e modernos. Quer dizer, quase sem a ajuda, já que os antigos gregos fizeram uso do guindaste, que, ao que tudo indica, deve ter aparecido pela primeira vez no final do século VI a.C. Anteriormente, acreditava-se que os gregos haviam levantado pesados ​​blocos de pedra usando rampas feitas de terra ou tijolos de argila, semelhantes aos que os antigos egípcios e assírios haviam feito séculos antes. Mas não.

Uma nova pesquisa publicada no Annual of the British School at Athens descobriu que os construtores dos primeiros templos de pedra da história grega, incluindo os templos de Ístmia e Corinto, empregavam uma máquina de elevação primitiva já em meados do século VII a.C. Como o novo artigo diz, esta máquina pode ser vista como um importante precursor do guindaste.

Ela era capaz de levantar blocos de silhar pesando de 200 a 400 kg.

O autor do novo estudo, Alessandro Pierattini, da Universidade de Notre Dame, diz que esta máquina de elevação foi originalmente inventada pelos coríntios, que usaram o dispositivo para construir navios e para carregar sarcófagos pesados ​​em poços estreitos e profundos.

Falando tecnicamente, esta máquina de elevação não era um guindaste, pois não usava manivelas, molinetes ou guinchos. Mas os construtores gregos redirecionaram a força usando uma corda passada sobre uma armação.

“Esse tipo de alvenaria representa um ponto crucial no desenvolvimento da monumental arquitetura grega de pedras, marcando uma mudança tanto da construção em terra batida, que era a norma para a maioria dos edifícios gregos, quanto de experimentos anteriores com construção de pedra”, relata Pierattini no estudo.

A principal evidência para essa afirmação vem das ranhuras gravadas no fundo das pedras usadas para construir os templos de Corinto e Ístmia. Os historiadores da antiguidade estão familiarizados com esses sulcos nas pedras, mas não se sabe se eles foram usados ​​para levantar os blocos durante o processo de construção ou para movê-los de um lado para o outro nas pedreiras.

Para o artigo, Pierattini estudou blocos de pedra usados ​​nos primeiros templos gregos, embora também tenha usado recursos de arqueologia experimental.

Bloco do templo de Ístmia. Imagem: Alessandro Pierattini

A descoberta é mais uma prova da notável engenhosidade dos antigos gregos.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentário.

Temos diversas bolsas de estudo em mais de 1.200 faculdades de todo país, confira aqui: https://engenhariae.com.br/bolsas-estudo