Depois de 130 anos, Basílica da Sagrada Família entra na última fase de construção

Ao cogitar sobre a arquitetura presente em Barcelona, deve-se sempre tratar do trabalho de Gaudí. Não é mesmo?

Um dos mais famoso arquiteto catalão criou uma verdadeira obra-prima, a até então inacabada Basília da Sagrada Família. A obra, que teve inicio no ano de 1882, ainda está incompleta uma vez que de acordo com arquitetos locais o projeto monumental previa ainda novas torres e novas estruturas. Os arquitetos também anunciaram que a igreja já tem data para estar completa: 2026, no centenário de Gaudí. “O trabalho de Gaudí é uma síntese criativa excepcional das diversas escolas artísticas do século 19, como o the Arts and Crafts movement, simbolismo, expressionismo, e racionalismo, e é diretamente associado com o apogeu cultural da Catalunha. Gaudí também pressentiu e influenciou muitas formas e técnicas do modernismo no século 20″, explica a página da World Heritage Centre, da UNESCO, que busca a “preservação do patrimônio cultural e natural ao redor do mundo considerados de valor excepcional para a humanidade” e do qual a Basílica da Sagrada Família faz parte desde 2005.

Gaudí dedicou-se a Basília pelos últimos 12 anos de sua vida, quando morreu atropelado em 1926. Conhecido por suas formas fluidas e mosaicos bem coloridos, o arquiteto não mediu esforços para fazer da Sagrada Família uma basílica singular, com qualidades que a encaixam entre os principais monumentos religiosos do mundo, mas que ao mesmo tempo a diferenciam, destacam e o colocam em outro pedestal da arquitetura.

O papa Bento XVI a consagrou e declarou como basílica menor em 2010. A obra, foi orçada em 25 milhões de euros (112 milhões de reais), feita a base de venda de ingressos e doações, verá em 2016 a construção da parte superior das torres centrais, mas elas “só serão visíveis de fora a partir de 2017, e estarão então terminadas em 2020, faltando ainda os pináculos que coroarão as estruturas”, explicou Jordi Faulí, arquiteto diretor da Basílica Sagrada Família.

As torres centrais da basílica representam Jesus,  Maria e os quatro Evangelistas (Mateus, Marcos, Lucas e João), sendo que a de Jesus será a mais alta, com 172,5 metros de altura. A conclusão das torres completa o “croqui conjunto que Gaudí sempre teve em mente”, que conta com 18 torres no total.

Confira o vídeo do projeto:


Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD
Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

 

ademilson ramos avatar Ademilson Tiago de Miranda Ramos – FacebookTwitterInstagram – LinkedIn Google Plus
Estudante de Engenharia Elétrica e Criador do Engenharia é: