Stonehenge

Uma mini versão de Stonehenge poderá ajudar a descobrir as capacidades acústicas do megalítico inglês, de acordo com cientistas que recriaram o local histórico a um duodécimo do seu tamanho original.

O modelo “mini” se estende por 2,6 metros de uma extremidade à outra e bate todas as outras réplicas de Stonehenge, como a de Maryhill, em Washington, porque foi criada usando dados de varredura a laser.

Trevor Cox, professor de engenharia acústica da Universidade de Salford, na Inglaterra, que fez parte da equipe de pesquisa, disse: “O problema com os outros modelos que temos é que as pedras não têm a forma e o tamanho certos, e como o som interage com as pedras depende criticamente das formas.”

O 3D de Stonehenge em 1:12 do tamanho do atual, no solstício de inverno. Fonte: Trevor Cox / Twitter

A equipe fez uso de trabalhos arqueológicos para reconstruir o monumento pré-histórico e como teria sido há 4.000 anos.

Originalmente, Stonehenge tinha 157 pedras, hoje apenas 100 permanecem. Nesta réplica, a equipe construiu o modelo usando o alinhamento original de 157 pedras.

Como a equipe construiu uma versão mais próxima do Stonehenge?

De acordo com Cox, “Você imprime em 3D e depois faz moldes de silicone a partir deles, e então os coloca em uma mistura de polímero de gesso e depois os pinta na pintura do carro”. Ele acrescentou: “Eu arruinei o chão da minha sala de jantar”.

Sons de baixa frequência

“Se você fosse falar em um cinema, provavelmente é mais ou menos o acústico que estamos recebendo”, disse Cox.

Os testes da equipe foram realizados dentro de uma câmara acústica e estavam procurando por efeitos como inteligibilidade de fala e ressonância aérea.

Além de ser visualmente impressionante, o ambiente auditivo de Stonehenge teria sido diferente para pessoas pré-históricas que não estavam acostumadas a espaços reverberantes – a menos que estivessem familiarizados com cavernas.

O propósito de Stonehenge ainda permanece um debate contencioso entre acadêmicos e leigos. Cox acredita que as virtudes acústicas eram um subproduto da estrutura.

“Se você fosse realizar uma cerimônia, e tivesse muitas pessoas com quem conversar, fazê-lo fora das pedras seria muito mais difícil do que se você fizesse isso dentro das pedras [do círculo]”, disse Cox.

A versão 3D de Stonehenge na câmara acústica. Fonte: Trevor Cox / Twitter

Alguns acreditam que Stonehenge pode ter sido usado por razões religiosas ou políticas, enquanto outros acham que era um observatório astronômico pré-histórico. Se o que Cox acredita é verdade, então o local teria sido ideal para ritos ou cerimônias misteriosas, já que suas extraordinárias qualidades auditivas teriam sido úteis para grandes encontros.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.