Um consórcio sueco formado pelo KTH Royal Insititute of Technology, de Estocolmo, a consultoria marítima SSPA, e sob a supervisão dos projetistas de navios da companhia Wallenius Marine, desenvolveu o Wind Powered Car Carrier (wPCC), um cargueiro transatlântico movido a energia eólica.

Enquanto o segmento de veículos elétricos tem registrado crescimento nos últimos anos, no mundo comercial, ele não teve forte expressão, principalmente quando falamos de transporte marítimo.

Navios elétricos não são uma abordagem muito próxima de carros elétricos, uma vez que o peso das baterias teria muito mais relevância no mar doque em terra, por exemplo. Por isso, ao invés de usar baterias, o wPCC usa “velas” que são impulsionadas pela força do vento, transmitindo o impulso para o casco, exatamente como faz um barco a vela.

90% mais limpo que navios comuns

O wPCC é um pouco mais curto que um navio contêiner de porte médio, mas é muito mais alto, devido às velas. Ele tem 200 metros de comprimento, 40 metros de largura e 100 metros de altura, dessa, 80 metros são para as velas.

Por questão de segurança e para entrar e sair do porto, o cargueiro terá motores adicionais, que deverão ser elétricos, a fim de manter seu aspecto sustentável.

Por falar em sustentabilidade, o wPCC será capaz de transportar até 7 mil veículos, emitindo até 90% menos gases que um navio movido a combustíveis fósseis de mesmo porte.

O wPCC está previsto para entrar em operação em 2024, e, por enquanto, só tem uma desvantagem em relação às embarcações que usam energia não-renovável: ele deverá levar 12 dias para atravessar o Atlântico, quase o dobro do tempo necessário para um navio convencional, que cruza o oceano em sete dias.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 🙂

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentário.