No início de 2018, os trabalhadores chineses começaram a montar uma imponente torre de transmissão na província de Anhui (China). É a primeira linha de transmissão elétrica de 1,1 milhão de volts do mundo, enquanto as empresas americanas lutam para superar 500.000 volts. 

Frete GRÁTIS ilimitado, Filmes, Séries, Músicas e muito mais com Amazon Prime! Teste GRÁTIS por 30 dias aqui.

Essa linha de transmissão será capaz de distribuir a produção de 12 grandes usinas elétricas por 3.200 quilômetros, enviando 50% a mais de eletricidade e 1.000 quilômetros a mais do que qualquer outra rede já construída. (Quanto maior a tensão da linha de transmissão, mais eletricidade pode ser transportada a uma distância maior e com menos perdas). 

Inicialmente, a empresa desenvolveu e construiu as linhas de ultra-alta tensão para atender à crescente demanda energética de seu imenso país, onde as altas montanhas e grandes distâncias separam os centros populacionais de carvão e de energia hidrelétrica, eólica e solar. Mas agora, a meta atual da State Grid é muito mais ambiciosa: unir os sistemas de eletricidade dos países vizinhos em “super-redes” transcontinentais capazes de trocar energia entre fronteiras e oceanos.

Essas redes maciças poderiam ajudar a reduzir as emissões de gases de efeito estufa, uma vez que permitiriam que as fontes de energia renováveis ​​flutuantes, como a eólica e a solar, aumentassem sua produção além da demanda dos próprios países. Linhas mais longas e maior capacidade permitem equilibrar a escassa energia solar em determinados locais.

A política e a burocracia têm dificultado a criação de redes de energia imensas e modernas em grande parte do mundo. Os Estados Unidos poderiam levar mais de uma década para obter as aprovações federais, nacionais, estaduais, regionais e privadas necessárias para construir as torres, cabos e tubos subterrâneos. E geralmente essas aprovações são muito difíceis de alcançar.

“Uma rede de transmissão interurbana de longa distância é uma peça importante do quebra-cabeça climático”, diz o ex-secretário de Energia dos EUA. UU Steven Chu, atualmente vice-presidente da organização sem fins lucrativos que a State Grid lançou em 2016 para promover conexões de rede internacionais. O especialista acrescenta: “A China diz: ‘Queremos ser líderes em todas essas tecnologias do futuro’ em vez de olhar no espelho retrovisor como os Estados Unidos parecem estar fazendo.”

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários