Após o anúncio do governo inglês no ano passado de que estava se comprometendo com emissões zero até 2050, o afastamento do gás natural em direção à eletricidade, bombas de calor e hidrogênio se tornou inexorável, de acordo com Gavin McCormick da consultoria de software de energia Beond, que falava no The Seminário “Gás: O que há no pipeline” da Energyst.

Os principais desafios do Reino Unido para 2050 são aumentar a porcentagem de hidrogênio e desenvolver biometano.

McCormick vê 2030 como um ponto de inflexão crucial para o setor de gás. Atualmente, apenas 0,1% do hidrogênio pode ser inserido na rede de gás. Isso pode aumentar para até 20% rapidamente, mas depois disso há dificuldades técnicas.

Enquanto políticas estão sendo introduzidas para eliminar o gás de propriedades recém-construídas a partir de 2025, reformar propriedades mais antigas com bombas de calor será um grande desafio. E a eletricidade sozinha não pode substituir todo o gás em termos de carga de calor. “Portanto, há muito o que fazer até 2030 e além”, diz McCormick.

Ele espera que tanto o biometano quanto o hidrogênio precisem de um investimento significativo se quiserem enfrentar o desafio. Um imposto sobre o gás verde para apoiar o biometano deve ser introduzido no final de 2021, embora a emergência da Covid possa afetar o momento. “A consulta do imposto sobre o gás verde acabou de começar: é difícil dizer como será em 2050”, diz ele, “mas é um desafio significativo de financiamento e investimento”, diz ele.

Em um cenário de custos não energéticos tradicionalmente baixos e estáveis ​​para o gás, “agora estamos caminhando para um custo não energético mais volátil e imprevisível para o gás”, prevê ele. Ele também vê um retorno ao modelo de gás de cidade dos anos 1950, longe da rede em todo o Reino Unido que tem dominado desde os anos 1970.

De acordo com McCormick, o futuro do setor de veículos elétricos será limitado por restrições de recursos associadas à produção de baterias. Por esse motivo, ele acredita que o hidrogênio terá um papel muito maior na próxima década: “Os anos 2030 verão o início da revolução do hidrogênio”.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 🙂

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.