No “Engenharia em Pauta” da semana passada estivemos conversando sobre um companheiro de todos os dias, incansável, que não dorme, e que sempre está a nosso serviço: o nosso subconsciente, ou seja, o conteúdo de nossa mente que não é diretamente acessível por nós… E é aí que está o problema: embora acumule uma enorme quantidade de dados, já que processa e aproveita tudo o que nos chega à mente e pode ser interessante ou marcante para nós, tendo como “sensores” todos os nossos sentidos, ele é meio retraído, trabalha escondido, e também à noite, quando estamos dormindo… 

Quando sonhamos algo de absurdo ou fantástico (e quem nunca teve um destes sonhos?), o que aconteceu é que este nosso companheiro se manifestou, meio que confusamente, e misturou um monte de coisas para nos falar… Não é à toa que os psicoanalistas sempre nos perguntam com o que sonhamos, em suas sessões… Eles assim procuram nos conhecer melhor, sem máscaras, entremostrando nossos traumas, etc.

Para procurar manter este nosso companheiro de trabalho e vida cada vez mais ativo e amigável, temos que alimentá-lo e deixá-lo à vontade. Para bem alimentá-lo, é muito conveniente sempre estar procurando aumentar nosso “repertório mental”, com o acréscimo sempre constante de informações e novidades. Melhor ainda se forem obtidas de outras áreas do conhecimento, além de nossas costumeiras… Ele gosta muito desta “alimentação” variada, e nos entrega bons frutos em soluções criativas. Visitar museus, desenvolver a cultura geral, viajar, praticar hobbies interessantes, ter conversas descontraídas com amigos, etc., tudo isto é um bom cardápio para ele.

Mantê-lo amigável também é provocá-lo. Uma boa metodologia para isto é a que foi sugerida pelo Dr. Benjamin Hard, e que tem sido divulgada em vários artigos a respeito:

10 minutos antes de dormir

“Tire alguns momentos antes de ir para a cama para meditar e escrever as coisas que você está tentando realizar. Pergunte a si mesmo um monte de questões relacionadas a essas coisas. Coloque essas perguntas e pensamentos no papel. Quanto mais específicas as perguntas, mais claras serão suas respostas. Enquanto você está dormindo, sua mente subconsciente vai começar a trabalhar.”

10 minutos depois de acordar

“Então… ao acordar, a primeira coisa do dia não será checar o seu smartphone. A ação número um da jornada que começa será checar o seu subconsciente em vez disso. Os minutos depois de acordar são alguns dos mais criativos do dia e chamados de ‘horário nobre’ para colher as ideias de sua mente subconsciente inventadas enquanto você dormia. Para chegar a isso, faça um depósito do que surgir.

Tudo que você precisa fazer é escrever o que vem à mente em relação às perguntas que você fez antes de ir para a cama na noite anterior. Parece simples, e pode parecer estranho à primeira vista. Para ter certeza, você vai precisar praticar esta habilidade. Pode levar várias tentativas antes de se tornar capaz. Mas, com consistência, você pode tornar-se fluente e automaticamente alcançar explosões criativas e intuitivas. Acorde, refaça as perguntas e anote as primeiras coisas que vierem à sua mente. É isso!”

Você pode conhecer melhor Benjamin Hard e ler o artigo completo do qual foi extraída a metodologia dos “10 minutos”, e com um conteúdo maior e bem interessante em: https://medium.com/thrive-global/this-10-minute-routine-will-increase-your-clarity-and-creativity-fa32b219cecd

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Quer ficar por dentro do assunto Smart City, o mais falado no Brasil e no mundo? Deixe seu e-mail e receba em primeira mão! clicando aqui.
Compartilhe:
Publicação anteriorPor que a morte de abelhas deve ser preocupante para os brasileiros?
Próxima publicaçãoEste é o helicóptero que a NASA quer enviar para Marte
É graduado em Engenharia Elétrica (Instituto Nacional de Telecomunicações – INATEL), e pós-graduado em Docência do Ensino Superior em Educação. Foi professor, desde 1964, em diversos cursos técnicos, de engenharia, e de extensão, em diversas áreas técnicas, bem como em empreendedorismo e inovação. Também criou e coordenou diversas atividades ligadas ao desenvolvimento do empreendedorismo, no Inatel. Atualmente participa de programas de extensão e pesquisa ligados ao empreendedorismo, criatividade e inovação.