Já tínhamos conversado sobre a conveniência de se elaborar um planejamento de vida e carreira, e segui-lo como uma “trilha” (mutável e adaptável, conforme as circunstâncias…), e não como um “trilho” imutável, como um dos importantes elementos para se lograr sucesso. Afinal, para quem não sabe o destino, fica impossível chegar a ele… E estamos conversando sobre este assunto, em etapas, das quais a primeira foi a necessidade de conhecer a si mesmo, o autoconhecimento. Vamos continuar esta conversa, então?

Etapa 2 – Mais um pouco de autoconhecimento

Neste ponto do planejamento, é importante identificar-se quais são os seus talentos dominantes, porque cada um de nós é muito bom em algo, não o sendo em outras características humanas – eu, por exemplo, tenho uma letra horrível, a qual às vezes nem eu consigo ler, dando graças (e meus próximos…) aos editores de texto. Embora existam técnicas sofisticadas que permitem tal identificação, é possível reconhecer, pelo menos em parte, alguns. Para isto, a seguinte metodologia é válida:

  • Olhe para o passado e reconheça-se agindo em uma determinada atividade: veja quão rapidamente você conseguiu apreendê-la, quão rapidamente você conseguiu evoluir na aprendizagem desta atividade, talvez até “pulando” etapas que normalmente seriam necessárias neste processo… E também:
  • Você conseguiu, nesta atividade, acrescentar ideias novas ou mesmo algo de pessoal às obtidas na aprendizagem? Você ficou plenamente absorvido na atividade? Teve genuíno prazer em exercê-la? 

Atendendo ao que citei nestas duas reflexões anteriores, você está perto de conhecer alguns de seus talentos dominantes. Caso não tenha reconhecido nenhuma destas características em uma atividade específica, tente outra (ou pense mais um pouco…), até que seus talentos naturais se revelem por si mesmo.

Este é um exercício relativamente fácil, pois basta você se lembrar do que tem feito até este ponto da sua vida, em diversas circunstâncias, e achar sintonia com o que comentei anteriormente como “elementos de detecção” de talentos.

E o porquê desta etapa é que importante pesquisa, realizada tendo como base respostas de mais de 1,7 milhões de colaboradores de 101 empresas em 63 países [1], nos afirma que as pessoas que alcançaram grande sucesso assim o conseguiram pois descobriram seus talentos dominantes, aperfeiçoaram-nos e os utilizaram com coragem.  Sim, com coragem, porque às vezes é necessário, para fazer isto, ir contra paradigmas estabelecidos, “regras” familiares, etc. Eu mesmo conheço vários casos assim… E, bem importante, é que estas pessoas mostraram-se plenamente realizadas, tanto pessoal quanto profissionalmente! 

Mas lembre-se que esta tarefa de “reconhecimento de talentos”, já que planejamento é “trilha”, e não “trilho”, pode e deve ser refeita, na medida em que o ambiente e as oportunidades se alterem, até desvelando novas e boas tendências. 

Realizada tal tarefa, com carinho e atenção, e da melhor forma possível, agora é passar para a próxima etapa, que será a concepção da vida, da carreira… Até lá, então!

Referência:

[1] BUCKINGHAM, M; CLIFTON, D. O. Now, discover your strengths. New York: The Free Press, 2001.260 p.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.