Pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil acharam uma enorme caverna na região amazônica de Ponta do Abunã, no estado de Rondônia, na divisa com o Acre e com a Bolívia. Pesquisadores acreditam que a caverna labiríntica foi escavada por animais hoje extintos, como tatus e preguiças gigantes.

De acordo com o chefe da equipe responsável pelo descoberta, Amilcar Adamy, o túnel foi provavelmente feito por um preguiça gigante extinto há aproximadamente 10 mil  anos. Fósseis do animal foram encontrados no vale do Rio Madeira, e na caverna, que está bem-preservada, é possível notar as marcas da garra do animal pra se ter uma ideia.

Moradores de uma comunidade próxima já sabiam da existência da caverna, mas eles pensavam que era algo feito por alguma pessoa que vivia por ali. É o único caso conhecido na floresta amazônica, e vai ajudar os cientistas a entender como esses animais enormes viviam e o clima do Pleistoceno, período marcado por uma megafauna na região. Acredita-se que o local era muito mais frio e seco (atualmente, quente e úmido).

Ainda de acordo com os cientistas, preguiças gigantes mediam até 6 metros de comprimento e pesavam cerca de 1,5 tonelada. No período em que os túneis foram feitos, não havia uma floresta, e sim uma grande savana habitada por animais enormes, como mastodontes e jacarés gigantes.

A extensão da paleotoca – nome característico desse tipo de caverna –  ainda não foi determinada, mas pensa-se que ela possui mais de 200 metros de extensão (há partes que precisam ser desobstruídas para os cientistas avaliarem seu real tamanho). Ela possui grandes estruturas circulares e vários túneis interligados. Os pesquisadores agora pretendem fazer estudos extras e novas escavações em busca de outros fósseis, bem como determinar o tamanho total da paleotoca.

De acordo com MM, OGlobo

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.