O jovem Brasileiro Vitor Belota Gomes de 17 anos fez um intercâmbio em Nairóbi, no Quênia, e nessa viagem ele notou que muitas casas e escolas não tinham energia elétrica, algumas salas eram tão escuras que as crianças não conseguiam ver as próprias mãos.

Então o jovem começou a pesquisar sobre soluções de iluminação de baixo custo, e conheceu o trabalho da ONG Liter of Light, que monta lâmpadas com garrafas PET.

A solução consiste em encher garrafas com água e alvejante, e após isso elas são colocadas nos telhados das casas ficando expostas à incidência dos raios solares que, pelo processo de refração da luz na água, conseguem iluminar o ambiente. Cada garrafa oferece a mesma quantidade de luz de uma lâmpada de 55 watts.

Depois de voltar do intercâmbio, Vitor quer levar essa técnica para todo Brasil. E por isso criou uma ONG, a Litro de Luz que tem como principal objetivo o desenvolvimento de postes de PVC para iluminação das ruas. Segundo ele, encontrou dificuldade no início. “Diziam: ‘quem é esse playboy que quer subir no meu telhado e instalar uma garrafa?”. Mas ele não desistiu e hoje o sistema já foi instalado em comunidades do Rio de Janeiro, de São Paulo, Brasília e de Florianópolis.

O poste de PVC foi criado porque a maior reclamação dos moradores era a falta de iluminação nas ruas e não nas casas. Este poste é acoplado a uma placa fotovoltaica que carrega uma bateria com capacidade para armazenar até 32 horas de energia e acende pequenas lâmpadas de led dentro das garrafas.

A próxima cidade que vai receber o projeto de iluminação sustentável é Caapiranga, município de 12 mil habitantes no Amazonas. “Vamos entrar na Amazônia com projeto de longo prazo. É a região mais carente de energia, onde muitos dependem de geradores a diesel que só funcionam algumas horas por dia”, disse Vitor.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 🙂

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.