O Nubank anunciou nesta sexta-feira, dia 11 de setembro, que fechou acordo para comprar a Easynvest, corretora digital com 1,5 milhão de clientes. A aquisição marca a entrada do Nubank no mercado de investimentos e “acontece em um momento de franca expansão do setor”, diz o banco em comunicado.

O negociação precisa ser aprovada pelo Banco Central e também pelo Cade.

A compra da Easynvest pelo Nubank já era dada como certa nas últimas semanas. A corretora afirma ter mais de R$ 20 bilhões em custódia e cerca 400 produtos financeiros, incluindo ações, opções, Tesouro Direto, fundos imobiliários e previdência privada; nenhum desses é oferecido atualmente aos quase 30 milhões de clientes que o Nubank possui.

No momento, nada muda para os clientes do Nubank ou da Easynvest, mas a intenção é “integrar” os produtos em futuro não muito distante. “As empresas permanecem operando normalmente e de maneira independente. Um grupo de trabalho será formado para planejar os próximos passos de integração dos serviços, a ser iniciada após aprovação dos reguladores”, diz o banco digital.

O Nubank, que começou oferecendo cartões de crédito sem anuidade há 6 anos, soma mais de 15 milhões de titulares. Além disso, 26 milhões de brasileiros utilizam a NuConta. O CEO David Vélez diz que o objetivo é replicar o modelo do Nubank também no mercado de investimentos, que “ainda é muito complexo, com produtos caros e muitas distorções”.

De acordo com o Nubank, o mercado de investimentos está crescendo no Brasil, especialmente devido à redução na taxa básica de juros, que está na casa dos 2% ao ano, menor patamar já registrado na história. Com rendimentos menores na caderneta de poupança e renda fixa, mais pessoas têm optado por ações, o que elevou o número de investidores Pessoa Física na B3 – Brasil, Bolsa, Balcão; que é a Bolsa de Valores – em 76% entre dezembro de 2019 e agosto de 2020, chegando aos 3 milhões.

Outros bancos também tentam crescer no mercado de investimentos. O Itaú, por exemplo,  comprou 49,9% da XP Investimentos por R$ 6 bilhões em 2017. A Neon Pagamentos adquiriu a Magliano, corretora mais antiga da bolsa, em julho de 2020. E o Bradesco tenta fortalecer a corretora Ágora, que centralizou as operações de varejo de investimentos do banco.

O valor da transação não foi divulgado. Em junho, o Nubank levantou US$ 300 milhões, ou praticamente R$ 1,6 bilhão, em uma rodada de investimentos, e fez mistério sobre o destino do aporte.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 🙂

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentário.