A Boeing está passando por uma grande crise e agora a companhia aérea australiana Qantas encontrou rachaduras em um avião 737 Next Generation, juntando-se a uma lista crescente de outras companhias aéreas que relatam problemas semelhantes.

Frete GRÁTIS ilimitado, Filmes, Séries, Músicas e muito mais com Amazon Prime! Teste GRÁTIS por 30 dias aqui.

Já resultou em algumas companhias aéreas deixando seus aviões nos pátios de aeroportos.

Em 31 de outubro, a Qantas afirmou ter encontrado algumas rachaduras em um dos aviões 737NG. Devido a essa circunstância, a Qantas reparará o avião e verificará outros 33 modelos.

Qantas não vê risco imediato à segurança

A BBC informou que a companhia aérea disse que não havia um risco de segurança imediato e, se não fosse seguro, a companhia não operaria a aeronave.

Há um mês, a Boeing descobriu o problema de rachaduras no 737NG. No momento, muitos aviões 737NG estão em serviço em todo o mundo após as inspeções realizadas pela Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA).

Contudo; as inspeções foram instruídas apenas para os aviões que voaram mais de 30.000 vezes, enquanto o avião da Qantas teve menos de 27.000 voos, informou a BBC.

Com a Qantas divulgando os problemas, a lista de aviões 737NG aterrados em companhias aéreas está aumentando. A Korean Air aterrou nove de seus aviões na sexta-feira após a descoberta de rachaduras e a agência de notícias Agence France-Presse informou que, no mundo, cerca de 50 aviões 737NG estão no pátio no momento.

Steve Purvinas, secretário federal da Associação Australiana de Engenheiros de Aeronaves (ALAEA), disse à mídia que a rachadura “tinha cerca de uma polegada de comprimento, é muito pequena. Mas essas coisas se propagam muito rapidamente quando estão sob carga. .. É quando isso cresce e cresce muito rapidamente que você tem problemas “, relatou o The Guardian.

Problema não é o mesmo que o 737 Max

Esse problema é diferente do dos aviões 737 Max, que causou a morte de 346 pessoas em dois acidentes separados em outubro de 2018 e março de 2019. Isso resultou em aviões 737 Max aterrissados em todo o mundo.

Dennis Muilenburg, CEO da Boeing, testemunhou perante o Congresso no início desta semana e foi acusado de “aumentar os lucros por qualidade e segurança”. Muilenburg pediu desculpas às famílias das vítimas, veja aqui.

Como conseqüência dos incidentes, a Boeing perdeu bilhões e as companhias aéreas estão exigindo compensação por causa dos voos cancelados, rotas reduzidas e outras restrições.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.