A Intel pretende desenvolver semicondutores que imitem a forma como os cérebros humanos funcionam, anunciando um novo produto chamado Pohoiki Beach.

O chip neuromórfico processa dados semelhantes aos de um cérebro humano, superando os desafios que afetam a primeira geração de chips de inteligência artificial. Com este produto, a Intel está estendendo a inteligência artificial para as áreas que funcionam de maneira semelhante à cognição humana, incluindo interpretação e adaptação autônoma.

Chip da próxima geração da Intel vai levar o IA a um novo nível

“Isso é crítico para superar a chamada ‘fragilidade’ das soluções de inteligência artificial baseada no treinamento e inferência de redes neurais, que dependem de visões literal e determinista de eventos que não têm entendimento de contexto e senso comum”, escreveu a Intel em um relatório de pesquisa. “A IA da próxima geração deve ser capaz de abordar novas situações e abstração para automatizar atividades humanas comuns.”

A Intel apontou para veículos autônomos como um exemplo em que esse novo chip IA será necessário. Tal como está, os semicondutores usados em carros autônomos podem navegar por uma rota GPS e controlar a velocidade do veículo. Os chips IA permitem que o veículo reconheça e responda ao ambiente e evite colisões com um pedestre.

Mas, a fim de promover carros autônomos, os sistemas precisam acrescentar as experiências que os humanos ganham ao dirigir, como lidar com um motorista agressivo ou parar quando a bola voa para a rua. “A tomada de decisão em tais cenários depende da percepção e compreensão do ambiente para prever eventos futuros, a fim de decidir sobre o curso correto de ação. As tarefas de percepção e compreensão precisam estar cientes da incerteza inerente a tais tarefas”, afirmam os pesquisadores. na Intel escreveu.

Com essa nova abordagem para o processamento de computadores, seus novos chips podem trabalhar até 1.000 vezes mais rápido e 10.000 vezes mais eficientes quando comparados às unidades de processamento central atuais ou CPUs para cargas de trabalho de inteligência artificial. O chip Pohoiki Beach é composto de 64 chips menores, conhecidos como Loihi, que, quando combinados, podem atuar como se fossem 8,3 milhões de neurônios, o que de acordo com um relatório é o mesmo do cérebro de pequenos roedores. Um cérebro humano tem quase 100 bilhões de neurônios.

A Intel disse que o novo chip pode ser particularmente útil no processamento de reconhecimento de imagens, veículos autônomos e robôs automatizados. O chip é gratuito para desenvolvedores focados em neuromorfismo, incluindo seus mais de sessenta parceiros na comunidade. O objetivo é comercializar a tecnologia no futuro.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.