Esta foi, sem dúvida, a década da IA, e embora as opiniões estejam divididas quanto à extensão de sua aplicabilidade, na área de diagnóstico médico, o apoio vem crescendo constantemente. Por esse motivo, as notícias recentes sobre o desenvolvimento da profunda DeepMind, subsidiária do Google, sobre o diagnóstico de doenças oftalmológicas, não devem surpreender.

A DeepMind formou uma parceria com a University College London (UCL) e o Moorfields Eye Hospital, em Londres, no projeto conjunto que envolve o desenvolvimento – e posteriores ensaios clínicos – de novos métodos destinados a diagnósticos rápidos e precisos de algumas doenças que ameaçam nossa visão.

Com um processo que introduz a “luz infravermelha próxima das superfícies internas do olho”, os dados das digitalizações  são criados em aproximadamente 10 minutos.

Os testes extensivos envolveram mais de 7.500  pacientes, bem como quase o dobro do número de exames de OCT.

Por meio de uma análise cuidadosa que incluiu o aprendizado da anatomia do olho e o uso dessas informações para oferecer opiniões informadas, o sistema aprendeu os procedimentos de diagnóstico. 

Detalhes sobre essas pesquisas promissoras foram compartilhados nesta semana em um artigo intitulado “Aprendizagem profunda clinicamente aplicável para diagnóstico e encaminhamento em doenças da retina”, na Nature Medicine.

As inovações oferecem um método abrangente para o diagnóstico da condição dos olhos, que inclui principalmente a tomografia de coerência óptica (OCT), um método para gerar imagens em 3D.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.