imagem: okcm/shutterstock

3 palavras para começar a falar de Cimento Portland: resistência, durabilidade e fácil de trabalhar. Mas de onde vem o nome Portland? O nome Portland foi dado em 1824 pelo químico britânico Joseph Aspdin, em homenagem à ilha britânica de Portland, no condado de Dorset.

Enfim, as 3 palavras ditas anteriormente fazem do Cimento Portland um dos materiais mais utilizados, especialmente em obras da construção civil. Empregado em várias situações, que podem ir desde ao mais simples mobiliário a grandes edifícios, o material é preferência entre engenheiros.

Em suma, trata-se de um pó fino com propriedades ligantes que sob o contato com a água o mesmo endurece e fica resistente.

Composição do cimento Portland

O cimento Portland é composto por um clínquer – isto é, mistura de calcário e argila com adições, de:

• gesso (controla o tempo de pega)
• escória de alto forno (aumenta a durabilidade e a resistência)
• materiais pozolânicos (garantem maior impermeabilidade ao concreto)
• materiais carbonáticos (semelhantes ao calcário, tornam a mistura mais trabalhável)

A quantidades de adições desses elementos estão proporcionalmente relacionadas as propriedades de resistência, estabilidade, durabilidade e impermeabilidade do cimento. Para conseguir uma estrutura eficiente, é fundamental conhecer as propriedades do material para utilizá-lo adequadamente em cada situação de obra.

Tipos de cimento e quais são suas aplicações

Os profissionais da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), dizem que alguns tipos são mais difíceis de serem encontrados, como o CP I e CP I-S, “pois são fabricados apenas por pedidos”, enquanto outros estão disponíveis em abundância. O CP II é o mais fácil de ser encontrado, já que corresponde por quase 70% do cimento produzido no Brasil.

Tipo de Cimento Adições Sigla Norma Onde usar Vantagens
Cimento Portland Comum Escória, pozolana ou fíler (até 5%) CP I-S 32 5732 Construções em geral, quando não há contato com sulfatos do solo ou águas subterrâneas. Versatilidade.
CP I-S 40
Cimento Portland Composto Escória (6-34%) CP II-E 32 11578 Estruturas que requerem um desprendimento de calor moderadamente lento.Construções que podem ser “atacadas” por sulfatos. Baixo calor de hidratação e alta resistência a sulfatos.
CP II-E 40
Pozolana (6-14%) CP II-Z 32 Próprio para produção de argamassas e concretos (simples, armado e protendido).Utilizado em obras subterrâneas, marítimas e industriais. Impermeabilidade e durabilidade.
Fíler (6-10%) CP II-F 32 Ideal para o preparo de argamassas de assentamento e revestimento; argamassa armada, concretos (simples, armado, protendido, projetado, rolado, magro), concreto-massa, elementos pré-moldados, artefatos de concreto, pisos e pavimentos de concreto e solo-cimento. Versatilidade (pode ser aplicado em várias fases da obra).
CP II-F 40
Cimento Portland de Alto Forno Escória (35-70%) CP III 32 5735 Recomendado para concreto-massa; barragens e peças de grandes dimensões; fundações de máquinas e pilares; obras em contato com ambientes agressivos por sulfatos e terrenos salinos; tubos e canaletas para condução de líquidos agressivos, esgotos ou efluentes industriais; e concretos com agregados reativos. Estabilidade; durabilidade; impermeabilidade; baixo calor de hidratação; maior resistência ao ataque por sulfatos; e maior resistência à tração e à flexão.
CP III 40
Cimento Portland Pozolânico Pozolana (15-50%) CP IV 32 5736 Próprio para o preparo de argamassa, concretos (simples, armado e protendido), elementos pré-moldados e artefatos de cimento.Indicado para obras expostas à ação de água corrente e ambientes agressivos. Impermeabilidade, resistência e durabilidade.“É o mais adequado para aplicações onde o requisito de elevada resistência nas primeiras idades é fundamental, como na indústria de pré-moldados e especialmente em aplicações de protensão”, ressalta Battagin.
Cimento Portland de Alta Resistência Inicial Materiais carbonáticos (até 5%) CP V-ARI 5733 Pode ser utilizado para o preparo de concreto e argamassa na produção de artefatos de cimento em indústrias de médio e pequeno porte, como fábricas de blocos para alvenaria e pavimentação, tubos, lajes, meio-fio, postes etc. Resistência à compressão de 26 Mpa; desforma rápida; e em contato com a água, adquire elevada resistência com maior agilidade.
Cimento Portland Resistente aos Sulfatos Estes cimentos são designados pelas siglas RS. Ex.: CP III-40 RS, CP V-ARI RS 5737 Indicado para obras em ambientes agressivos, como: redes de esgotos de águas servidas, industriais ou água do mar.Utilizado em concreto dosado em central, concreto de alto desempenho, concretos projetados, armado e protendido; pisos industriais, pavimentos, argamassa armada, argamassas e concretos submetidos ao ataque de meios agressivos etc. Versatilidade, resistência e durabilidade.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Quer ficar por dentro do assunto Smart City, o mais falado no Brasil e no mundo? Deixe seu e-mail e receba em primeira mão! clicando aqui.