Uma equipe de cientistas da Universidade de Cambridge criou uma “folha artificial”, que pode ser a resposta para a gasolina mais limpa no futuro.

Frete GRÁTIS ilimitado, Filmes, Séries, Músicas e muito mais com Amazon Prime! Teste GRÁTIS por 30 dias aqui.

Atualmente, usamos gás produzido por combustíveis fósseis, mas como as questões prementes sobre sustentabilidade e meio ambiente soam altas e claras, é preciso encontrar e usar alternativas.

Essa ‘folha artificial’ pode ser uma resposta.

O estudo foi publicado na Nature Materials.

Luz solar, dióxido de carbono e água

Tudo o que é necessário para essa “folha” para criar o gás limpo, chamado syngas, é luz solar, dióxido de carbono e água. É simples e sustentável.

Mesmo que exija luz solar, ao contrário de muitos painéis solares, essa folha artificial ainda pode funcionar em dias nublados. Além disso, diferentemente dos processos industriais atuais para criar tal tecnologia, que liberam dióxido de carbono na atmosfera, essa folha não.

Autor do estudo, Virgil Andrei, segura a folha artificial. Fonte: Sarah Collins / Universidade de Cambridge

Syngas tem muitos usos benéficos. Produz principalmente commodities, como combustíveis, produtos farmacêuticos, plásticos e fertilizantes.

O autor sênior do estudo, Erwin Reisner, do Departamento de Química de Cambridge, disse: “você pode não ter ouvido falar das próprias syngas, mas todos os dias consome produtos que foram criados usando-as. Ser capaz de produzi-las de maneira sustentável seria uma etapa crítica no fechamento do ciclo global do carbono e no estabelecimento de uma indústria química e de combustíveis sustentável”.

Inspiração

Permanecendo fiéis à questão ecológica em questão, os cientistas se inspiraram na natureza e copiaram o formato da fotossíntese. As plantas usam esse processo natural que usa a luz solar para transformar dióxido de carbono em alimento.

Sistema de ciclo fechado sustentável vs. ciclo fóssil. Fonte: Sarah Collins / Universidade de Cambridge

É o mesmo com a folha artificial. A folha possui dois absorvedores de luz que são combinados com um catalisador feito de cobalto.

Uma vez imerso em água, um dos absorvedores de luz usa o catalisador para criar oxigênio, e o outro reduz o dióxido de carbono e a água em monóxido de carbono e hidrogênio.

Um elemento surpresa e bem-vindo que os cientistas descobriram durante sua pesquisa foi que o sistema funcionava mesmo sem muita luz solar.

“Isso significa que você não está limitado a usar essa tecnologia apenas em países quentes, ou apenas a operar o processo durante os meses de verão”, disse o Ph.D. da Universidade de Cambridge, Virgil Andrei, o primeiro autor do estudo. “Você poderia usá-lo desde o amanhecer até o anoitecer, em qualquer lugar do mundo.”

Os principais autores do estudo, Virgil Andrei (à esquerda) e Erwin Reisner (à direita). Fonte: Sarah Collins / Universidade de Cambridge

Agora, a equipe está estudando métodos para usar sua nova tecnologia para criar uma alternativa sustentável de combustível líquido à gasolina.

Reisner entende a importância dessa futura gasolina sustentável, como afirmou: “Há uma grande demanda por combustíveis líquidos para abastecer o transporte pesado, a navegação e a aviação de maneira sustentável”.

Atualmente, a eletricidade pode satisfazer apenas 25% de nossa demanda global de energia. É hora de criar e impulsionar inovações tecnológicas como a folha artificial.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.