Florianópolis será a primeira cidade a se tornar Livre de Agrotóxicos no país. Isto porque o Projeto de Lei 17.348/2018 proíbe o uso e armazenamento de agrotóxicos na produção agrícola, pecuária, extrativista e nas práticas de manejo dos recursos naturais, foi aprovado por unanimidade na Câmara dos Vereadores da cidade.

Frete GRÁTIS ilimitado, Filmes, Séries, Músicas e muito mais com Amazon Prime! Teste GRÁTIS por 30 dias aqui.

Para virar lei, ainda falta a sanção do prefeito Gean Loureiro, que tem 30 dias para fazê-lo, mas esta notícia já pode ser celebrada como um marco em Florianópolis. O que não só é bom para seus moradores como também para o turismo, grande propulsor da economia dessa ilha famosa.

Assim, é proibido o uso de inseticidas, herbicidas, nematicidas, fungicidas e, quem infringir a nova lei, vai pagar multa a ser definida pelo executivo, que deve dobrar em caso de reincidência. E mais: fazem parte do PL ações de conscientização nas escolas sobre os prejuízos causados pelo uso desse tipo de veneno em qualquer ser vivo exposto a ele.

O marco determinante para esse resultado foi a publicação de dossiê elaborado pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), no ano passado, com base em diversas notas técnicas desenvolvidas por institutos de pesquisas, ONGs e instituições governamentais. Tal documento confirmou o que parece óbvio: a incidência de câncer e de outros efeitos nocivos à saúde e ao ambiente provocados pela uso indiscriminado de agrotóxicos. Afinal, eles não contaminam apenas os alimentos, mas também a água, o ar, o solo, o que impacta gravemente a biodiversidade.

Em Santa Catarina, em 2017, foram analisados diversos produtos agrícolas para a detecção de venenos. O resultado apontou que 54,36% apresentavam resíduos e 18,12% estavam fora da conformidade legal.

Que outras cidades tomem a mesma decisão, afinal a nossa comida não precisa ser um veneno.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentário.

8 Comentários

  1. Todos sabemos que um percentual extremamente pequenos de produtos no caso verduras são produzidos na ilha… Ou seja, tudo.continua a mesma coisa…
    Tudo para receber este título gerando mais grana para políticos etc…
    Porque eles não colocaram na lei…

    ” Todos produtos consumidos na Cidade não podem ser oriundos de produção convencional..” aí queria ver o bicho pegar.

    Não existe produção sustentável sem uso de agrotóxicos.

  2. Que reportagem rasa a respeito do uso de defensivos agrícolas….informem-se melhor antes postá-las. Isso vai gerar sim, entre outros, um baita custo pros consumidores da cidade.

  3. A história  nos ensina desde os primórdios da civilização   ,que o povo não sabe o quer ,e nem sabe o que fala ,todo cuidado e pouco  se existe um  forte apelo popular pelo fim do defensivo agrícolas  e bom se integrar do assunto  em breve teremos  tecnologia para uso na agricultura  ( produção  de alimentos  ) com efeitos devastador sobre o meio ambiente  , na saúde  na biodiversidade , em breve teremos energia nuclear e radioativa   sendo empregada para combater  as pragas ,fungos e ervas daninhas  nos cultivos.

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here