A startup de Elon Musk, Neuralink, que promete conectar o cérebro humano diretamente a tecnologia, se prepara para uma antecipada revelação das suas novas tecnologias no próximo dia 28 de agosto.

O próprio Elon, acreditamos que seja muito ansioso como nós, não conseguiu se conter e revelou mais detalhes da nova interface cérebro-computador de sua empresa. Recentemente, quando um cientista da computação perguntou a Elon no Twitter se seremos capazes de ouvir música direto no cérebro através de uma interface dessas, isto é, sem nenhum fone de ouvido Elon respondeu com um breve “sim”.

Lasers no seu crânio

Ainda não há idéia exata do que a Neuralink estaria desenvolvendo. O que já sabemos, de acordo com uma apresentação do ano passado, é que o dispositivo se conecta no seu crânio através de orifícios feitos com lasers que vão inserir fios ultrafinos.

As primeiras edições do implante poderão ser utilizados em pessoas que precisam de reparo nas conexões neurais como pacientes de distúrbios do cérebro, como Parkinson, um dos exemplos, Elon afirmou recentemente em uma entrevista.

Mas não sabemos exatamente se as interfaces cérebro-computador da Neuralink terão capacidade de desviar o ouvido e os nervos cocleares para enviar música diretamente para a região auditiva do cérebro.

Outro usuário do Twitter perguntou se o dispositivo da Neuralink terá a capacidade de provocar a liberação de hormônios e neurotransmissores como oxitocina, serotonina quando necessário e Elon também respondeu que sim. Isso tem implicações profundas já que essas substâncias estão intimamente ligadas com os estímulos na busca pelo prazer: teoricamente isso poderia ter efeitos enormes na própria condição humana já que muito do que fazemos está ligado, totalmente inconscientemente, em ter essas substâncias liberadas no cérebro.

Fones de ouvido de ponta afirmam transmitir música “direto” para o cérebro através de vibrações no crânio dos usuários, mas não enviando sinais diretamente para o cérebro.

E para fazer isso e outras coisas Elon quer mais e mais cérebros adicionados às fileiras da Neuralink.

“Se você resolveu problemas difíceis com telefones / dispositivos vestíveis (vedação, processamento de sinais, carregamento indutivo, gerenciamento de energia etc.), considere trabalhar na [Neuralink]”, twittou Elon no último fim de semana.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 🙂

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.