Pesquisadores da Universidade da Califórnia desenvolveram um novo tipo de cubo de resfriamento que pode revolucionar a forma como os alimentos são mantidos frios e enviados frescos sem depender de gelo ou pacotes de resfriamento tradicionais.

Esses “cubos de gelatina” sem plástico não derretem, são compostáveis ​​e antimicrobianos e evitam a contaminação cruzada.

“Quando o gelo derrete, não é mais reutilizável”, disse Gang Sun, professor do Departamento de Engenharia Biológica e Agrícola. “Achamos que poderíamos fazer o chamado gelo sólido para servir como meio de resfriamento e ser reutilizável.”

Os cubos de resfriamento contêm mais de 90 por cento de água e outros componentes para reter e estabilizar a estrutura. São suaves ao toque como uma sobremesa de gelatina e mudam de cor dependendo da temperatura.

Reutilizável e flexível

Esses cubos reutilizáveis ​​podem ser projetados ou cortados em qualquer formato e tamanho necessários, disse Jiahan Zou, um aluno de pós-graduação que trabalha no projeto há dois anos.

“Você pode usá-lo por 13 horas para resfriar, coletar, enxaguar com água e colocá-lo no freezer para congelar novamente para o próximo uso”, acrescentou Sun.

Uma patente para o design e conceito foi depositada em julho.

Os pesquisadores esperam eventualmente usar resíduos agrícolas reciclados ou subprodutos como material refrigerante.

“Queremos ter certeza de que isso é sustentável”, disse Luxin Wang, professor associado do Departamento de Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Água residual do mercado de peixes e blocos de gelo mofados estimularam a ideia

Os pesquisadores começaram a trabalhar nos cubos de refrigerante depois que Wang viu a quantidade de gelo usada nas fábricas de processamento de peixes e a contaminação cruzada que a água do degelo poderia espalhar entre os produtos ou pelo ralo.

“A quantidade de gelo usada por esses locais de processamento de pescado é enorme”, disse Wang. “Precisamos controlar os patógenos.”

Sun também lamentou o mofo encontrado nas bolsas de gelo de plástico usadas na merenda escolar das crianças e freqüentemente encontradas em embalagens de transporte.

Os primeiros testes mostraram que os cubos podem suportar até 22 libras sem perder a forma. Eles podem ser reutilizados uma dúzia de vezes – apenas uma rápida lavagem com água ou alvejante diluído – e depois descartados no lixo ou com o lixo do quintal.

Alternativa ao gelo

Os cubos de gelatina oferecem uma alternativa ao gelo tradicional e podem reduzir o consumo de água e o impacto ambiental. Eles também oferecem temperaturas estáveis ​​para reduzir a deterioração dos alimentos e podem ser ideais para empresas de preparação de refeições, empresas de transporte e produtores de alimentos que precisam manter os itens frios.

A aplicação pode reduzir potencialmente o consumo de água na cadeia de abastecimento de alimentos e o desperdício de alimentos, controlando contaminações microbianas. A pesquisa foi publicada no jornal da American Chemical Society, Sustainable Chemistry & Engineering.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 🙂

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.