Saiba como baratas podem salvar sua vida

1
(Imagem: divulgação)

Imagine este cenário: Um terremoto acaba de agitar sua cidade e você se viu vivo, mas preso nos escombros de um prédio de escritórios em colapso. O ar e uma lasca de luz fluem através de uma rachadura para o mundo exterior. Você pede ajuda, mas ninguém responde.

Frete GRÁTIS ilimitado, Filmes, Séries, Músicas e muito mais com Amazon Prime! Teste GRÁTIS por 30 dias aqui.

E de repente, há movimento. Dezenas de baratas vêm em sua direção através da fenda. Seria um pesadelo para muitos. Mas estas não são serão baratas comuns; Estas são uma equipe de cyborgs carregados de sensores de comunicação, e eles estão prestes a salvar sua vida.

“Talvez sua reação seja gritar, mas talvez isso ajude porque elas serão capazes de encontrar onde você está”, disse o professor assistente Edgar Lobaton ao Seeker.

Ele e seus colegas Alireza Dirafzoon e Alper Bozkurt da Universidade Estadual da Carolina do Norte informaram sobre o desenvolvimento mais recente de um sistema para emparelhar veículos aéreos não tripulados com cyborgs de insetos para criar mapas 3D de áreas grandes e desconhecidas, E até mesmo localizar sobreviventes.

O estudo, baseado em simulações usando um enxame de 1,5 polegadas robótica “Hexbugs”, que se deslocam aleatoriamente como baratas, apresenta uma estrutura para a forma como tal sistema poderia trabalhar no mundo real.

Em um cenário futuro, centenas de baratas seriam equipados com minúsculos eletrônicos projetados para estimular suas antenas, que sente os objetos ao redor, e seus cerci, apêndices em seus traseiros usado para detectar mudanças no movimento do ar que pode indicar um predador. Os pesquisadores do NCSU já descobriram que estimular as antenas de uma maneira particular pode fazer com que o inseto se mova para a esquerda ou para a direita e estimular o cerci pode acelerá-lo.

Baratas são exploradores naturais ea equipe queria capitalizar sobre esse talento. Mas eles não queriam que as baratas saíssem em mil direções quando a missão poderia ser mapear uma determinada área. É aí que entra o zangão.

Sobrevoando o avião, o zangão enviaria sinais destinados a estimular as antenas ou cerci de uma maneira que manteria as baratas cyborg contidas em um determinado local ou, inversamente, levá-los a apressar-se para a próxima área.

Esses sinais não precisariam necessariamente chegar a cada barata no enxame, também. Contanto que alcançassem alguns biobots, os programas de software seriam programados para se comunicar com outros biobots como parte de uma rede ad-hoc, enviando o comando através das fileiras.

O mapa da área seria criado usando sensores no robô para coletar as relações espaciais entre eles e enviá-lo para o drone ou uma estação de base no exterior. Um algoritmo reune os dados para criar um mapa 3D. Quando foi coletados dados suficiente  de uma área específica, o drone reúne os biobots na próxima zona.

Eles estão analisando como diferentes sinais produzem diferentes movimentos nos biobots. Uma vez que eles tenham uma boa idéia, eles vão começar a pesquisar a melhor forma de contê-los. Depois disso, eles trarão o zangão.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.