Pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas Científicas de Montreal (INRS) acabam de publicar um estudo no Óptica  detalhando uma nova abordagem para um material invisível.

Seu dispositivo, chamado de capa de invisibilidade espectral, é o primeiro a manipular a cor (ou frequência) das ondas de luz que interagem com um objeto, tornando-o invisível.

“Nosso trabalho representa um avanço na busca por materiais de invisibilidade”, disse o autor do estudo, José Azaña, em um comunicado de imprensa .

Vamos quebrar isso, começando com a luz. Tem algo chamado  espectro eletromagnético . Ele contém todas as diferentes frequências de  radiação eletromagnética, um certo tipo de energia. Raios-X, raios gama caem em algum lugar desse espectro.

Enquanto você não pode ver um raio X, seus olhos podem ver uma pequena faixa de frequências no espectro eletromagnético. Nós chamamos isso de luz visível. Como mencionado, é um intervalo separado em que percebemos como cores, com violeta em uma extremidade e vermelho na outra. Algumas fontes de luz contêm mais de uma frequência específica. Nós chamamos essas fontes de banda larga, e a luz do sol é um exemplo.

Quando “vemos” algo, o que estamos realmente vendo é a interação dessas  frequências de luz e do objeto. Quando a luz do sol brilha em um carro azul, o carro reflete a freqüência da luz azul, enquanto todas as outras frequências de cor simplesmente passam pelo objeto. Nossos olhos detectam a luz azul refletida, nos deixando ver o carro azul.

O dispositivo de camuflagem dos pesquisadores do INRS aproveita essa interação. Eles descrevem um objeto que reflete apenas a luz verde.

Para fazer com que este objeto pareça “invisível” para o olho humano, eles usam um filtro especialmente projetado para mudar temporariamente as frequências verdes no espectro de banda larga que brilha no objeto para azul. Em seguida, eles usam outro filtro para mudar essas frequências de volta para o verde no outro lado do objeto.

Atualmente, o dispositivo de camuflagem dos pesquisadores do INRS só funciona de uma direção – o olhar do espectador precisa seguir o caminho da luz, olhando para o objeto através do primeiro filtro.

No entanto, Azaña afirma que o método poderia, teoricamente, tornar um objeto invisível de todas as direções.

Por enquanto, o dispositivo pode ajudar a proteger as telecomunicações, que usam ondas de banda larga para transportar dados. As empresas de telecomunicações podem tornar certas frequências ao longo de suas redes de fibra óptica “invisíveis”, impedindo que terceiros usem a luz de banda larga para espioná-los.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Para você que está procurando Bolsa de Estudo, temos bolsas de até 75% em mais de 1.200 faculdades de todo o Brasil. Encontre a sua Bolsa de Estudo clicando aqui.
Compartilhe:
Publicação anteriorVeja o que acontece com seu corpo e cérebro se você parar de beber água
Próxima publicaçãoNossos “paradigmas” e o futuro…
24 anos, mineira de Itajubá, é estudante de sistemas de informação na UNIFEI (Universidade Federal de Itajubá). Ama compartilhar conhecimento e estar sempre bem informada sobre ciência e tecnologia. Atualmente é redatora no Engenharia é: e Estágio Online, desenvolve Site, Loja Virtual, Crawler(efetua busca de informações por toda a web) e muito mais. Também é especialista em aumentar o tráfego de seu negócio online. Entre em contato pelo número: +55 35 984127067