Pela primeira vez, os cientistas demonstraram que podem detectar a radiação sem ter que se aproximar da fonte – até 1 km.

Neste momento, a única maneira de testar se algo é radioativo é obter um detector muito próximo a ele, o que representa o risco de exposição à radiação ou, no caso de uma potencial bomba nuclear, muito pior. Ser capaz de detectar materiais nucleares a uma distância segura pode mudar a forma de como limpam e descobrem lugares como Chernobyl estão.

Embora a capacidade de detectar a radiação a partir de uma distância segura tenha sido prevista há algum tempo, esta é a primeira vez que essa capacidade realmente foi demonstrada.

Usando ondas eletromagnéticas de alta potência, pulsadas de um dispositivo chamado um gyrotron, os pesquisadores podem provar o ar em torno de um objeto para ver se eles podem detectar qualquer radiação.

Uma parte chave desta técnica é a geração de plasma de curta duração no ponto onde o feixe eletromagnético é focado.

“O experimento mostra claramente que é possível estender o alcance de detecção até 1 km na mesma freqüência que usamos”, disse à Science Alert um dos membros da equipe, Eunmi Choi, do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Ulsan na Coréia do Sul.

“Nosso experimento sugere que a detecção da existência de material radioativo em longa distância pode ser possível. Especialmente, um campo de alta radiação onde não só os seres humanos, mas também os robôs não podem acessar como detecção de bomba na região de atividade suspeita”.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.