Em São Bernardo do Campo, água de reuso é filtrada e é utilizada em serviço de limpeza.

A Ford Motor Company anunciou, como parte de seu 19º Relatório Anual de Sustentabilidade, que cumpriu sua meta de reduzir as emissões industriaisde CO2 oito anos antes do previsto (veja o relatório completo em inglês). Em 2010, a empresa estabeleceu a meta de reduzir as emissões de dióxido de carbono das operações de produção em 30% por veículo produzido até o ano de 2025.

A Ford atingiu o objetivo duas vezes mais rápido em relação ao tempo previsto. Os resultados são significativos – redução de mais de 3,4 toneladas de 2010 a 2017 -, o equivalente a emissões de gases de efeito estufa de mais de 728.000 veículos de passageiros rodando por um ano.

“Estamos orgulhosos do trabalho que fizemos para atingir esse objetivo. Realizamos várias melhorias em nossas operações de manufatura, que tiveram um papel importante para a redução na emissão de CO2”, disse Bruce Hettle, vice-presidente de Manufatura e Relações Trabalhistas. Entre as ações, foram feitas atualizações nas operações de pintura e a instalação de mais de 100.000 luminárias usando a tecnologia LED.

Ford América do Sul

O relatório traz um capítulo dedicado à América do Sul com as ações desenvolvidas pela Ford aqui na região. No que diz respeito à redução das emissões de CO2, que globalmente diminuíram em 32% – o equivalente a 0,67 tCO2/veículo –, a contribuição da América do Sul foi muito significativa, chegando a 0,27 tCO2/veículo. Esse resultado foi alcançado com a implementação de diversas ações voltadas à redução de consumo de energéticos industriais – como energia elétrica e gás natural –  e com base na matriz energética do Brasil, que é cerca de 70% hidráulica. O relatório também aborda outras iniciativas desenvolvidas pela montadora, como a economia de água e o foco em ações de responsabilidade social.

Economia de água

Em 2017, a Ford Brasil economizou mais de 35 milhões de litros de água potável em suas operações, passando a utilizar 2,82 m³ por veículo ante os 2,98 m³ usados em 2016. Nos últimos cinco anos, o complexo de São Bernardo do Campo diminuiu o consumo em 35,8%, que representa economia de 863,7 milhões de litros. Uma das ações implementadas para melhoria contínua dos processos de manufatura foi a otimização da água de descarte durante a pintura. Ela é armazenada no tanque de coagulação, um reservatório com capacidade para 1,3 milhão de litros, filtrada e, por meio de bombeamento, é utilizada em serviços satélites como por exemplo a limpeza das grades das cabines de pintura, lavagem de empilhadeiras e teste de infiltração em todos os automóveis e caminhões produzidos. Este processo permite ainda completar os quatro reservatórios do sistema de combate a incêndio que, somados, totalizam 5,4 milhões de litros. Paralelamente, a unidade de São Bernardo possui três reservatórios que são abastecidos com a captação de água de chuva.

Outras ações de redução de consumo foram implementadas em 2017, como o reúso de água nas torres de resfriamento e nos banheiros, que geraram economia equivalente ao consumo de 342 famílias com quatro pessoas no período de um ano – redução de aproximadamente 35 milhões de litros. Já a fábrica de Camaçari obteve redução de 38%.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.