Foto de Nick Karvounis no Unsplash

A vontade de se tornar cidadão português aumentou consideravelmente nos últimos anos, sendo que em 2019 a quantidade de pedidos de retirada da cidadania atingiu um valor de 74.000, o maior número nos últimos cinco anos! Dentre as comunidades que buscam mudar de vida em Portugal, a de brasileiros tem se mantido no topo, seguida pela comunidade de cabo-verdianos e em terceiro lugar pelos britânicos (que provavelmente estão à procura de uma vida menos cara e com mais luz do sol!).

Além da familiaridade linguística e apreços culinários parecidos, mais do que nunca os brasileiros têm buscado uma saída da recente crise política, econômica e sanitária causada pelo Covid-19 (a qual atingiu números diários de morte na casa dos milhares!). Ademais, o custo-benefício de vida em Portugal é muito mais balanceado do que no Brasil, sendo muito mais fácil possuir qualidade e dignidade de vida por muito menos (visto que as infraestruturas públicas como transporte, saúde e educação são fornecidas com muito mais eficiência e qualidade, correspondendo aos impostos pagos). 

O site da empresa Imovirtual constatou que dos 261.248 estrangeiros que consultaram a sua plataforma digital em busca de uma casa para morar em Portugal, 59.686 eram brasileiros. É importante destacar também que cerca de 30% das pessoas que visitam o site são jovens entre 25 a 34 anos, o que demonstra a emigração de potenciais mãos de obra qualificada do território brasileiro ao lusitano, provavelmente buscando novas oportunidades laborativas e de vida. Outra evidencia dessa emigração específica é o fato de que dentre os tipos de propriedades procurados, apartamentos em Lisboa estão no topo da lista (mesmo que não sejam os mais baratos de Portugal). 

O fato é que, Portugal não se incomoda com toda essa imigração, na realidade até estimula a vinda de expatriados. Isso porque há anos o país sofre uma forte emigração de seus próprios jovens adultos, a qual se acentuou com a geração de millenials e continua bem alta com a geração Z (com dados mostrando que 44% de jovens entre 18 e 24 anos mostram disponibilidade para ir trabalhar no estrangeiro). Sendo assim, com a população mais velha aumentando e a população jovem emigrando, o governo português vem criando projetos nos últimos anos como por exemplo o esquema do Golden Visa (para aqueles que tem muito dinheiro a investir no país) e o plano “A Geringonça” (que oferece direitos sociais, residência e visto de trabalho para falantes de português fluente).

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! 🙂

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.