O resfriamento radiativo do céu é um fenômeno que vê a formação de geada no chão quando as temperaturas ainda estão acima de zero. É responsável por gotículas de água que se formam nos pára-brisas dos carros e geadas na grama à noite.

Frete GRÁTIS ilimitado, Filmes, Séries, Músicas e muito mais com Amazon Prime! Teste GRÁTIS por 30 dias aqui.

Agora, ele foi aproveitado para criar uma tecnologia que poderá ser o irmão noturno da energia solar.

Energia noturna renovável

Pesquisadores, liderados por um cientista de materiais da UCLA, dizem que aproveitaram os princípios por trás do resfriamento radiativo do céu e criaram uma solução inovadora para a produção de energia renovável à noite.

Em um artigo publicado na revista Joule, eles descrevem a tecnologia de baixo custo que poderia ajudar mais de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo que não têm acesso confiável à eletricidade, de acordo com a Agência Internacional de Energia.

O conceito de tecnologia descrito no artigo, intitulado Gerando luz das trevas, pode ser usado como uma solução independente ou pode funcionar com energia solar, permitindo que a eletricidade seja gerada a qualquer hora no mesmo local.

Resfriamento radiativo do céu

O fenômeno subjacente à nova tecnologia, o resfriamento radiativo do céu, é uma ocorrência natural em que uma superfície voltada para o céu ejeta seu calor no ar na forma de radiação térmica. Parte desse calor sobe para a atmosfera superior e pode até ir para o espaço.

“Esse efeito ocorre naturalmente o tempo todo, especialmente em noites claras”, disse Aaswath Raman, líder do estudo, e professor assistente de ciência e engenharia de materiais na Escola de Engenharia Samueli da UCLA, em comunicado à imprensa.

“O resultado é que o objeto que ejeta o calor, seja um carro, o solo ou um edifício, será um pouco mais frio que a temperatura ambiente”.

A nova tecnologia usa essa diferença de temperatura para gerar eletricidade. Os cientistas criaram um dispositivo que poderia capturar o aumento do calor do ar circundante e convertê-lo em eletricidade.

Uma solução barata

O dispositivo criado foi capaz de alimentar uma lâmpada LED.

Todas as peças usadas para o dispositivo experimental foram compradas em lojas de suprimentos eletrônicos a um custo total de menos de US$ 30.

A instalação incluía um disco de alumínio, pintado de preto de um lado, que foi colocado voltado para o céu. O disco foi usado para irradiar o calor do ar circundante. Também incluiu um gerador termoelétrico – um dispositivo que gera uma tensão elétrica em resposta a diferenças de temperatura.

O dispositivo gerou aproximadamente 25 miliwatts por metro quadrado. Embora isso seja muito menor do que uma célula solar de tamanho semelhante, Raman disse que o dispositivo pode ser facilmente usado para gerar energia em locais que não tem rede elétrica.

Configuração experimental do dispositivo de geração de eletricidade que usa o resfriamento radiativo do céu para coletar energia. Fonte: Aaswath Raman / UCLA

Raman e sua equipe estão trabalhando para melhorar a tecnologia criando protótipos mais poderosos.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentário.

4 Comentários

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here