Os oceanos cobrem cerca de 71%  da Terra e nós, humanos, vivemos em pouco mais de um quarto da Terra coberta pela terra. Agora, tendo isso em mente, pode-se ter dificuldade em entrar em acordo com o fato de que poluímos os oceanos.

Já que os oceanos são tão vastos, nenhuma quantidade de poluição poderia ter um efeito tangível, certo? Bem, é aí que estamos errados!

Estima-se que 5,25 trilhões de fragmentos de plástico estão no oceano. Desse total, 269 ​​mil toneladas de plástico flutuam na superfície da água. O resto dos escombros polui o fundo do mar .

É um fato verdadeiramente chocante e que esclarece os danos que temos causado aos nossos oceanos.

Como o plástico acaba com a vida marinha

Os detritos de plástico mata a vida marinha de duas formas principais. Os peixes ou mamíferos se emaranham nas fibras plásticas, restringindo seu movimento ou até mesmo a capacidade de alimentar ou respirar. Em segundo lugar, os detritos plásticos podem ser ingeridos pelos animais marinhos matando-os no processo.

As zonas mortas – sem oxigênio, sem vida

Zonas mortas são pontos no oceano que não têm oxigênio na água, tornando impossível a vida prosperar nele. Existem mais de 500 zonas mortas espalhadas pelos oceanos.

Por que é hora de limparmos os oceanos?

Não podemos mais ignorar a poluição marinha. Tornou-se uma crise global.

E já estamos vendo os efeitos da poluição marinha nos seres humanos. Estima-se que 1 em cada 3 peixes capturados para consumo humano contenha plástico.

Entrar na água do mar contaminada deixa cerca de 1 bilhão de pessoas doentes todos os anos. O dano é agravado em países onde as pessoas afetadas com tais doenças não têm acesso a cuidados médicos adequados.

A limpeza dos oceanos é a única maneira pela qual podemos ajudar tanto a vida marinha quanto a dos seres humanos. Mas é de fato uma tarefa gigantesca.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

 

Quer ficar por dentro do assunto Smart City, o mais falado no Brasil e no mundo? Deixe seu e-mail e receba em primeira mão! clicando aqui.