Em órbita da Terra, não há apenas satélites ativos. Há também satélites fora de serviço ou seus fragmentos, restos de foguetes e até ferramentas perdidas por astronautas. Essa multiplicidade de objetos é mais comparável a estilhaços do que a simples lixo. 

Aproximadamente 500.000 desses estilhaços são suficientemente grandes para exigir atenção extra e, se possível, ações para neutralizá-los. O envio de satélites para o espaço continua a crescer ano após ano,

O que torna o trabalho de limpeza desse espaço orbital especialmente complicado. Os adesivos adesivos tradicionais são basicamente inúteis porque as substâncias nas quais são baseados não podem suportar mudanças extremas de temperatura. Ímãs só funcionam em objetos que são magnéticos. A maioria das soluções propostas, incluindo arpões, exige ou causa uma forte interação com os detritos, o que poderia empurrá-los em direções imprevisíveis e não intencionais.

Em uma tentativa de ajudar a acabar com esse caos, os pesquisadores projetaram uma nova classe de braçadeira robótica para pegar esses objetos e removê-los.

A equipe de Mark Cutkosky, da Universidade de Stanford, Aaron Parness, o Jet Propulsion Laboratory (JPL) da NASA, e Elliot Hawkes, Universidade da Califórnia, todas essas instituições nos Estados Unidos, desenvolveu o grampo, que usa um sistema de adesão inspirado em répteis entre os quais existem espécies conhecidas por nomes populares como lagartos ou lagartixas. O mecanismo tem muitas vantagens: não precisa de adesivos e não deixa resíduos.

O grampo desenvolvido pela equipe Cutkosky é resultado do trabalho que ele e seus colegas começaram há cerca de 10 anos para desenvolver robôs de escalada que usavam adesivos inspirados em como as lagartixas grudam nas paredes.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.