Segundo a Organização Mundial da Saúde, 10% de todos os produtos médicos nos países em desenvolvimento são abaixo do padrão ou falsificados. Então, engenheiros desenvolveram um sensor para testar a medicina real com base em uma fonte incomum: um instrumento musical conhecido como mbira, também conhecido como um polegar.

O novo sensor foi construído com um princípio científico em mente, que as frequências de som criadas por um instrumento musical são determinadas pelas propriedades físicas do instrumento. E uma vez que examinar a densidade física de um remédio líquido pode oferecer a prova de que é o negócio real e não uma fraude, os cientistas começaram a se perguntar se a música poderia eliminar as falsificações.

“Podemos adicionar uma amostra a um instrumento musical, medir a alteração resultante nas notas do instrumento e usar essa alteração para determinar informações sobre a amostra e suas propriedades?” perguntou William Grover, professor assistente de bioengenharia na Universidade da Califórnia, Riverside, em um comunicado de imprensa .

Grover e sua equipe se voltaram para o mbira para encontrar uma resposta. Um instrumento de mão com muitas variedades, o mbira é composto de pontas de metal graduadas presas a uma placa de som.

Grover e sua equipe substituíram os dentes por um tubo de metal dobrado e injetaram um líquido. Através de arrancar a tubulação de metal, Grover foi capaz de fazer uma variedade de sons. Um tubo vazio tocava um G afiado, enquanto um tubo cheio de água tocava um F afiado.

Sentindo-se como se estivesse prestes a fazer alguma coisa, Grover foi até sua garagem e construiu um novo dispositivo inteiramente com pedaços de madeira e tubos encontrados ao redor. Depois de determinar o tamanho ideal do sensor mbira, ele e seus alunos começaram uma série de testes. Eles encheram seus tubos com tudo, desde a água do rio local até o leite de búfalo da Índia e notaram como os sons mudavam e se alteravam com cada substância.

Os medicamentos falsificados provaram ser um bom primeiro desafio para o sensor porque são feitos de ingredientes diferentes dos reais. Medicamentos contra a gripe falsificados são muitas vezes feitos de uma mistura desagradável conhecida como dietilenoglicol (DEG), que é um líquido viscoso, claro, incolor e inodoro com um sabor adocicado.

Um sensor mbira, construído de forma barata e com equipamento encontrado por aí, e o aplicativo de smartphone certo podem ser perfeitos para testes.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.

Quer ficar por dentro do assunto Smart City, o mais falado no Brasil e no mundo? Deixe seu e-mail e receba em primeira mão! clicando aqui.