Normas ABNT, só de ler esse nome já causa um friozinho na barriga, não é mesmo? Diante da dificuldade de aplicar as normas de formatação de textos acadêmicos aos softwares de edição já existentes, três colegas da pós-graduação em Computação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) viram uma oportunidade.  Yguaratã Cavalcanti, Bruno Melo e Paulo Silveira decidiram criar um aplicativo útil para estudantes e professores de todo o país e passaram os últimos quatro anos desenvolvendo FastFormat, disponível há dois meses de forma gratuita para o público.

O software é capaz de facilitar a vida de interessados em produzir artigos de conferência e periódicos, trabalhos de conclusão de curso, monografias, dissertações e teses de quaisquer instituições, que tenham como referência a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Dentro do software, o usuário trabalha a partir de modelos prontos, chamados de temas ou templates, que permitem ao usuário a troca de conteúdo, com apenas alguns cliques. “Também tivemos o cuidado de desenvolver o FastFormat de maneira que o usuário não se sinta preso à nossa solução. O documento produzido pelo FastFormat pode ser exportado para vários outros softwares, como Word, Open Office e LaTeX. Isso é um compromisso que assumimos desde o início”, enfatizou Yguaratã, um dos desenvolvedores.

Quantos custa?

O software está temporariamente gratuito para os usuários, mas à medida que ele for sendo desenvolvido, serão estabelecidos preços de acordo com o nível de utilização do usuário.

Outras melhorias estão sendo previstas, como as funcionalidades de revisão de textos e a possibilidade de criação de templates pelos próprios usuários.

Há também planos de fornecer cursos e materiais para ajudar o usuário na produção científica. Por hora, os programadores já disponibilizam um blog, que fornece tutoriais e dicas de escrita científica.

Imagem de Shutterstock

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.