Em uma palestra ministrada pelo Professor Doutor Messias Borges da Silva no VI Workshop de Educação e Pesquisa do Estado de São Paulo, foi abordado um tema de extrema importância: Inovação no ensino, com ênfase nas engenharias.

Este é um assunto que vem sido muito comentado, pois sabemos que é necessário uma mudança no ensino em nosso país. E não somente no Brasil, mas em todo o mundo, onde é aplicado o método tradicional de ensino.

Na palestra, uma das primeiras coisas faladas pelo professor é a forma como os estudantes de hoje são conectados e tem uma forma de aprender diferente. Mas o ensino continua o mesmo de cem anos atrás. Messias cita um estudo realizado com os alunos aprovados que tiraram média A em um determinado curso em Harvard, e que teriam que fazer uso de tudo que tinham aprendido durante o semestre em um projeto dois meses depois. O resultado foi que 40% dos alunos não conseguiram fazer uso do conhecimento adquirido durante o semestre, ou seja, não aprenderam.

O que acontece é que o ensino ainda é muito focado em memorização e não na resolução de problemas que tenham relação com o mundo real ou relevância para suas vidas.

A situação atual do ensino está assim:

  • Classes Lotadas: é muito normal vermos de 50 a 80 alunos em uma única sala de aula;
  • Mesmo conteúdo e aplicações aplicado ano após ano;
  • A memória é mais importante que o raciocínio e a imaginação;
  • Pedagogia baseada na ideia de transferência de conhecimento;
  • O grau de conhecimento é medido por provas individuais.

Em contrapartida, temos o perfil do jovem atual:

  • Não tem paciência para estudar/trabalhar;
  • Executa múltiplas tarefas simultaneamente;
  • Usa muito mídias sociais;
  • Possui uma mente seletiva para uma excesso de informações;
  • Não sabe obedecer ordens;
  • Possui “síndrome do motorista de táxi”, sabe tudo!
  • Dificuldade em comunicação escrita e conhecimento gerais.

E é por este perfil que é preciso uma mudança no método de ensino, o método tradicional não traz nenhum atrativo ao aluno.

A visão internacional

Tem sido discutido muito sobre este tema no exterior, e na visão deles os profissionais que o professores vão ajudar a formar devem entender os princípios de liderança e devem ser capazes de praticá-los em proporções crescentes com o avanço de suas carreiras. Há uma necessidade deles também possuírem uma mentalidade e prática de trabalho baseadas em altos padrões éticos e um forte sendo de profissionalismo.

Em uma palestra ministrada pela presidente do MIT que o professor assistiu, foi falado nela:

Precisamos cultivar pessoas tecnicamente astutas que possam aplicar suas habilidades para orientar o desenvolvimento econômico e social e capazes de encontrar soluções ambientalmente aceitáveis para os problemas técnicos e ajudar a reduzir a desigualdade social.

Então, o que pode ser mudado?

  • O modelo de ensino que é praticado;
  • As metodologias de ensino/aprendizagem devem ser reformuladas;
  • Dar maior ênfase ao trabalho do aluno;
  • Aprendizagem ativa, baseada na solução de problemas reais, orientada a projetos e a necessidade da vida;
  • Uma contraposição a uma forma de ensino passiva e assentada na transmissão de conhecimento;
  • Modelo de aprendizagem mais participativo, mais atrativo para os alunos e mais centrado na aquisição e competências;
  • Maior acompanhamento dos alunos por parte dos professores e uma investimento permanente na melhoria da qualidade da educação.

Você pode ver mais no vídeo completo do professor, aqui.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.