A sonda da Nasa Curiosity detectou altos níveis de emissão de metano na superfície de Marte, isso pode indicar a existência de vida no Planeta Vermelho, apontou a edição New York Times.

De acordo com a edição, as informações foram obtidas por especialistas da agência espacial nesta semana.

A edição destacou que o gás pode ter sido emitido recentemente, já que na atmosfera fina de Marte as moléculas de metano se decomporiam em poucos séculos devido à luz do Sol e na sequência de reações químicas.

Os investigadores também não descartam que o gás detectado possa ter permanecido no interior do planeta durante milhões de anos, e agora estar saindo através de fendas.

Na Terra, o metano, o produto final do metabolismo, é produzido por bactérias, denominadas metanogênicas, que habitam em grandes quantidades nos locais que carecem de oxigênio: debaixo do solo e no trato gastrointestinal dos animais. Além disso, o metano surge na sequência de reações geotermais, que não estão ligadas aos processos biológicos.

Conclusão da missão russo-europeia

Ao mesmo tempo, colegas da missão russo-europeia ExoMars Trace Gas Orbiter chegaram a uma conclusão diferente: nem o dispositivo russo ACS, nem o europeu NOMAD conseguiram encontrar qualquer vestígio de metano na atmosfera de Marte em seis meses de observação. Estas diferenças tornaram o mistério do “metano marciano” ainda mais interessante.

Recentemente, astrônomos ganharam a oportunidade única de verificar todas estas afirmações. Nesse fim de semana, a equipe do rover Curiosity anunciou a descoberta de uma nova e poderosa emissão de metano, a uma escala ainda maior do que a acontecida em junho de 2013.

Em contraste com a penúltima explosão, que Mars Express não conseguiu checar, cientistas russos e europeus estavam prontos para o evento e conseguiram recolher todos os dados necessários para verificar as observações do rover americano.

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos! xD

Quer ficar por dentro do assunto Smart City, o mais falado no Brasil e no mundo? Deixe seu e-mail e receba em primeira mão! clicando aqui.